sexta-feira, 21 de setembro de 2007

OS HEBREUS PRETOS



Por Walter Passos. Teólogo, Historiador, Pan-africanista, Afrocentrista e Presidente do CNNC – Conselho Nacional de Negras e Negros Cristãos. Pseudônimo: Kefing Foluke.

Os relatos sobre os hebreus são encontrados no Primeiro Testamento, escritos por eles mesmos. A história e arqueologia datam no aparecimento dos hebreus, entre 1950-1500 a.C. O fundador chamava-se Abraão, da cidade de Aram, filho de Terá, nascido em Ur da Caldeia. Todos nós sabemos que os povos da Mesopotâmia foram pretos de origem Cushita, conforme atestam as provas arqueológicas e lingüísticas. Sendo assim, Abraão foi um homem preto porque nesse período não havia civilizações brancas na Mesopotâmia, e seu pai , Terá, era um preto caldeu. No período da vida de Abraão e de sua saída de lá, a Mesopotâmia estava em guerra, sendo um período de migração. Os primeiros hebreus foram nômades e se estabelece­ram no delta fértil do Nilo, no final do Reino Médio do Egito..
Segundo Moacyr J. Scliar, que escreveu “Da Bíblia à Psicanálise: saúde, doença e medicina na cultura judaica” - Também não há unanimidade, entre os historiadores e arqueólogos, quanto à origem dos judeus. Poderiam ser originários da Mesopotâmia, a região entre os rios Tigres e Eufrates; ou poderiam ser nômades, que, vindos do desertos da península arábica, estabeleceram-se, no período neolítico, na região conhecida como Canaã; pode­riam ser um grupo originário dos próprios canaanitas, uma seita religiosa dissidente (Cantor, 1996, p. XV).
FALASHA (BETA YISRAEL DA ETIOPIA)
Falasha significa “exilado”, e na língua etíope significa “um desconhecido”. Os judeus negros são chamados de falashas em sentido pejorativo. Na Etiópia, se dizem descender de uma das dez tribos perdidas de Israel. São conhecidos também por "Kaila" nas regiões de Walkait e em Tchelga são conhecidos como "Fogara" ou por "Fenjas".
Há algumas tradições sobre a origem do Beta (casa) Israel, de que eles são descendentes de um grupo da tribo de Dã, dispersos na primeira diáspora. Guardam a tradição de que são descendentes de judeus que foram expulsos na época da destruição de Jerusalém no ano 70 d.C.; outra que são descendentes de um grupo que veio de Jerusalém acompanhando a Rainha de Sabá, e outra que foram convertidos ao Judaísmo no primeiro século.
Os falashas mantêm diversas tradições judaicas: guardam o sábado, não comem carne de porco, acreditam em encantos e possuem amuletos.
Foram reconhecidos como judeus, primeiramente, pelo principal Rabbi Sefardin em 1973, e então pelo principal Rabbi Ashkenazi em 1975.Em 1985 o serviço secreto israelense Mossad, juntamente com a CIA, implantaram por 03 anos a Operação Moisés, que tentou tirar da Etiópia 14 mil judeus negros.
O sucesso não foi o esperado porque somente oito mil falashas fo­ram retirados através do Sudão e levados a Israel de barco. Muitos adoeceram e retomaram a Etiópia. A Operação Moisés teve falha. Em 1991, as Forças de Defesa de Israel retiraram da Etiópia 14.200 falashas e os conduziram para Israel, essa foi a Operação Salomão. Foram enviados a Adis-Abeba 35 aviões militares e civis com tropas especiais e comandantes acostumados em guerras, para protegerem a retirada dos falashas. Estão em Israel se adaptou a vida do país, convivendo com a discriminação racial.

LEMBAS

Os cientistas afirmam que o ancestral comum dos Lembas viveu entre 2.000 e 3.100 anos, época que coincide com a vida de Arão, o irmão de Moisés. O chefe da equipe, que fez o exame de DNA, foi o geneticista inglês David Goldstein, da Universidade de Oxford, em 1999. Os lembas são cohanitas, descendentes dos sacerdotes do templo de Israel. Uma tradição afirma que eles são descendentes de Arão, irmão de Moises. Atualmente, no Judaísmo, os cohanitas possuem privilégios e obrigações.
Aproximadamente há 2.500 anos, um grupo de judeus deixou a Palestina e se estabeleceu no Yemen. Foram conduzidos pela casa de Buba. No Yemen eles construíram uma cidade chamada Ba-Sanaa, que significa “pessoas de Sanaa”. E sobre o domínio da casa Hamsi atravessaram o mar vermelho foram para a África e se dividiram em dois grupos. Um grupo ficou na Etiópia, outro grupo foi mais ao sul e se estabeleceu em uma região hoje conhecida com Tanzânia. E no Quênia construíram a Segunda cidade de Sanaa. Prosperaram e tiveram um grande aumento populacional e daí saiu um pequeno grupo que se estabeleceu em Malalavi e no Quênia. Ainda estão nesses países e são conhecidos como Ba-Mwenye (Senhores da Terra). Outro grupo, os da liderança da casa de Bakali, estabeleceram-se em Moçambique e construíram o terceiro Sanaa chamado de Ba-Sanaa. Após isso, uma parte do grupo, sob a liderança de Seremani, estabeleceu-se em Chiaramba, que hoje é Zimbábue e são conhecidos como B-lemba–­Lemba; outro grupo foi mais para o sul na região da África do Sul e estão em Venda, Louis, Trichadt, Pietrsburg e Tzaneen (pesquisa o mapa da África do Sul). O interessante é que foi feito um exame de DNA em um clã particular dos Lembas, especificamente no clã de Buba, e 53% dos homens possuem assinatura original do DNA realizada em 1999 pelo geneticista inglês David Gold Stein, da Universidade de Oxford, quem comprovou que os Lembas tem como ancestral comum Cohin. Sendo assim, eles são descendentes de Arão, irmão de Moisés, e os cohanitas eram os mais importantes sacerdotes hebreus, que cuidavam do templo e eram auxiliados pelos Levitas.
Os Lembras acreditam que há somente um Deus, e este é conhecido como Nwali. Guardam o sábado, ensinam as crianças a honrar seus pais e as suas mães, praticam a circuncisão, não comem carne de porco ou nenhum animal proibido do Antigo Testamento, não misturam leite e carne nas suas refeições, lavam sempre as mãos antes que segurem o alimento ou utensílios na cozinha e sempre agradecem a Nwali. Usam o calendário lunar, os rituais de sepultamento, as cabeças devem sempre estar em direção ao norte, para lembrar de onde vieram, e colocam uma estrela de Davi na tumba. Casam sempre dentro do grupo, têm que aprender as leis religiosas e dietéticas. Se alguma mulher quer se casar com algum lemba tem que raspar a cabeça. Deve aprender todos os costumes lemba. Eles estão construindo o templo e estudando hebraico, aprendendo sobre o Tora, sendo auxiliados por rabinos israelitas.
As provas genéticas, históricas, genealógicas, lingüísticas e arqueológicas a­testam que os hebreus antigos foram negros. E muitos desses remanescentes dos antigos hebreus que ficaram no continente africano na época de Moisés retornaram, em diversos períodos, por migrações, ao continente africano. Tiveram membros escravizados depois de milhares de anos pelos colonialistas europeus. Sabemos hoje que, dos grupos étnicos seqüestrados para o Brasil, vieram descendentes de hebreus pretos, especialmente do tráfico feito pelo Oceano Indico, da região hoje conhecida por Moçambique. Entre esses grupos podemos destacar os Chonas, Tichongas e outros. Isso significa que judeus negros foram escravizados e que há descendentes dos primeiros hebreus em terras afro-americanas.
Nas religiões de matriz africana, de tradição bantos no Brasil, uma das principais divindades ancestrais é denominado LEMBA ou LEMBARANGAGA ou GUARATINHANHA que é o Senhor da Vida ou o Senhor da Boa Vida ou o Senhor da Argila, porque, segundo a tradição, criava os seres humanos.

14 comentários:

Escola Mª Luíza disse...

Valeu p visita no meu orkut!
Adorei seu blog; o tema é muito oportuno.
Precisamos acabar c urgencia c toda forma de preconceito
Bjs

angela disse...

Adorei o documentario.
Penso que precisamos unir nossas forças para que toda um raça respeitem-nos,pois o racismo nunca vai acabar.
Se todos se respeitar,será mais facíl o convivio.

angela disse...

Precisamos sim unirmos para acabar com todo tipo de racismo pois isso não é coisa de Deus.

Beijos.

EU SOU PELA JUSTIÇA disse...

JUDEUS NEGROS

Os ministros religiosos do partido ortodoxo Shas apelaram ao primeiro-ministro de Israel, Ehud Olmert, para que reveja a falta de empenho para a emigração da comunidade etíope dos falashas. Os negros falashas alegam terem seus ancestrais judaicos, apesar de estarem convertidos, há anos, ao cristianismo. O líder do Shas, Ely Yishai, acha que a imigração deve continuar, respeitando as condições impostas pelo Rabino Chefe de Israel. " Se o Estado encoraja a imigração de pessoas que não são judeus segundo as leis religiosas, da antiga União Soviética, porque não trazer os etíopes?, perguntou Yishai.

GUINE disse...

Mocualé malungo!
Gostei muito do documentário,achei de um valor importantíssimo e uma grande contribuição no processo de africanização do nosso povo na diáspora.

Anônimo disse...

Discuti com quase toda a turma na faculdade sobre a cor dos judeus, defendi que eles eram em sua maioria um povo moreno; eles, que os judeus eram exclusivamente brancos. Foi interessante ver esta nota sobre judeus negros, saber que até mesmo Abraão pode ter sido negro...Muito Obrigado!

SYSTEMCLUB - SuporteINFO disse...

A Paz do Eterno estejam com todos. Saber nossa origem é maravilhoso. Ter resposta as orações de nossos pais e abrir nossos olhos e ver que mentiram, esconderam, negaram a verdade para todos. Principalmente para nos. Quem já passou pelo terrível sentimento que é ser rejeitado, tratado como lixo, quando adulto é difícil de aceitar. O que podemos dizer de uma criança que não pode entender porque sua cor é motivo de preconceito, divisão até mesmo dentro de "igrejas" que dizem fazer parte do Messias, sendo seguidoras de "cristianismo" muitas vezes mascarado, cheio de preconceitos. Devemos ter coragem de falar e alerta mais e mais pessoas. Lembrar sua origem e a quem elas pertencem. Que o Eterno ajude mais e mais a trazer a verdade.

LauLimor disse...

Claro que não há provas que a Mesopotâmia era negra e sequer há estudos a esse respeito. Entretanto, a sua matéria é excelente no sentido de que ajuda a romper a barreira dessa chaga horrorosa chamada preconceito racial ou de cor. Acredito que os judeus que imigraram para a região que é hoje a Etiópia sofreram processos de miscigenação e hoje temos essa beleza que são os judeus etíopes que, uma vez em Israel, só vêm a somar às demais comunidades judaicas.

Hebreu Negro disse...

Adorei, o idealizador do blog é um gênio!

elias florentino disse...

Quero que me digam algo do que publiquei tenho documentos pertenco a comunidade israelita paulista

elias florentino disse...

Quero que me digam algo do que publiquei tenho documentos pertenco a comunidade israelita paulista

elias florentino disse...

Caro leitor ele esta correto os que alto se denominam judeus sao brancos sim mas a hebreus que nao sabiam de suas origens se converteram ao judaismo os hebreus na totidade sao negros semitas o dna deles pertence a africa oriente medio vivendo dividindo espaco na africa com os filhos de ham ou can nos se parecemos todos pensam que somos uma coisa so mas nao e.Yah falou para israel assim (israel nao sois vos para mim como os etiopes? Pretos parecidos iguais negros e tao facil entender ad pessoas nao estao satisfeitas com suas origens querm apagar o outro e tomarem na marra origem do outro de qualquer jeito e nao da o dna acabou com isso pague o laboratorio faca o teste e depois fale com certeza seguranca isso e ser verdadeiro sem achismo o que der no teste esta dado e pronta acaba com isso logo e vamos atras das ovelhas perdidas da cada de israel precisa juntar e juntos voltar a buscar Yah pedir perdao e sair dessa diaspora que nos discrimina nos maltrata nos impede tudo temos que voltar para israel enquanto os gentios eurpeus mandam la os judeus filhps de esau sefarad sofrem muito pelo que eles fizeram a nos hebreus nos venderam a preco nos trouxeram para as americas por todo o planet em navios acorrentados escravizados ate hoje depois da abolicao nos tratam mal yah permitiu eu sei que estamos no castigo logo vai acabar os gentios vao ter que rapar fora de israel creio que falta pouco.

elias florentino disse...

Na nossa familia tem levita dna de levita Y-E1b1b1 e sumo sacerdote Y-J1 filhos de arao so pode casar com mulheres que carregam os 16dna das mulheres dos 12 filhos de jaco as 12 tribos se casar com outro tipo vira bastardo para Yah nao podia atuar no templo nao e bom manzer bastardo no conceito sacerdotal e isso quando o messias voltar eles serao purificados e reconciderados como puros



elias florentino disse...

Abrao carregava Y-E dna africano preto queimado totalmente a maioria do meu povo sao geneticistas

PRETAS POESIAS

PRETAS POESIAS
Poemas de amor ao povo preto: https://www.facebook.com/PretasPoesias