segunda-feira, 3 de setembro de 2007

A mulher negra evangélica e a rejeição do homem negro evangélico


Por: Elba Oliveira Chrysostomo
Pseudônimo Makeda Foluke Nabulungi.
Professora, Pan-africanista, Secretária do CNNC/Ba e Fiscal CNNC/Br.

Bela, formosa, inteligente, “benção de Deus”, porém, rejeitada. Essa é a frase de milhares de mulheres negras que vivem dentro das igrejas evangélicas. São belas e formosas, inteligentes, uma benção para vida dos irmãos – mas não servem para casar.
Falar sobre a mulher negra é sempre momento de reflexão e sobre a mulher negra evangélica não é diferente por esta sofrer tripla discriminação: ser mulher, negra e evangélica, enfim uma mulher negra que sofre, não menos que as demais.
Não é novidade que a mulher negra é, em sua maioria, rejeitada pelo homem negro e explorada em diversos aspectos pelo homem branco. Dentro da igreja evangélica isso não é diferente. Historicamente, a figura da mulher negra foi criada por trás do estereótipo de beleza e sensualidade: uma imagem totalmente sexualizada. Essa dualidade marcou sociedades inteiras por causa da escravidão, marcando também, o homem negro que tornou-se machista, aprendendo com o mundo ocidental tal prática.
É bastante comum encontrar irmãs, em média, com 30/40 anos solteiras dentro das igrejas, simplesmente porque nenhum irmão a desejou para casar-se com ela. As mulheres negras na igreja, muitas vezes, são consideradas feias. Em contra partida é bastante comum, também, encontrar irmãs brancas casadas com negros e brancos da igreja (essas brancas casadas com negros são, em maioria, pobres e, ou com pouca instrução), enquanto as negras servem para profetizar, para limpar, para orar e não para ter uma família como as demais mulheres: a dita vida “abençoada por Deus”.
Muitas das mulheres negras casadas foram ou são violentadas, física ou moralmente por seus maridos machistas. Outras solteiras foram exploradas sexualmente, enganadas com falsa promessa de casamento.
Os jovens negros das igrejas “ficam”, às vezes, com uma irmã negra – e isso, geralmente às escondidas – mas dificilmente deseja casar ou assumir um relacionamento que gere futuro casamento. Namorar e casar, preferencialmente, com as brancas, pois ser negra na igreja é sinônimo de feiúra e casar com uma negra não “dá bons cargos” nem “status”. Muitos negros evangélicos não são diferentes de alguns negros que estão fora das igrejas ambos gostam de exibir uma branca como se fosse um troféu e isso, acontece não porque de fato estão apaixonados por elas, mas é como se isso lhes desse o título superior de posse por estar com uma branca. Eles tem relações sexuais com as negras, mas dificilmente casar-se-ão com uma delas. O machismo ocidental, com certeza, se repete dentro das igrejas.
Não se dá ênfase para os relacionamentos entre os negros, não há questionamento dentro das igrejas do porque de a maioria das famílias negras dentro das igrejas serem desestruturadas.
Mães separadas que geraram futuras mães ou mulheres solteiras e separadas, não se questiona o porquê de o homem negro rejeitar, usar e abusar da irmã de sua cor, muito menos o porquê de muitos irmãos negros terem muitos filhos com famílias diferentes. Desestruturar as famílias é uma das piores violências que se pode cometer contra um povo, é mais uma forma de genocídio do nosso povo.
As igrejas ao tentarem comentar o racismo – da para contar as que fazem isso – elas o abordam de forma que, aparentemente, o racismo e o racista estão somente lá fora, no “mundo”, ou melhor, na sociedade e não algo que realmente envolva a igreja e que esteja, também, dentro da igreja. Existe a hipocrisia da falsa igualdade. É necessário recontar e reescrever aspectos de nossa história africana é preciso desconstruir os dramas que sucedem às famílias negras evangélicas. A mulher negra foi, profunda e intimamente, marcada negativamente e a igreja ainda hoje fere o ser mulher negra evangélica. É preciso construir na igreja a cultura negra e estimular o amor entre nosso povo, é preciso desconstruir o machismo ocidental que desestrutura e destrói as nossas famílias.
Para finalizar a nossa reflexão quero deixar alguns versículos do livro de Cantares 1 de Salomão o qual ele escreveu junto com a sua negra Makeda (a Rainha de Sabá 1Reis10). Que os homens negros possam amar as suas mulheres negras assim como Yeshua planejou. Que os homens negros sejam libertos do machismo ocidental que marginaliza o amor e as nossas famílias.
1 – “O cântico dos cânticos, que é de Salomão”
2 – “Beije-me ele com os beijos da sua boca; porque melhor é o seu amor do que o vinho.” (Salomão)
5 – “Eu sou preta e formosa, ó filhas de Jerusalém, como as tendas de Quedar, como as cortinas de Salomão.”(Rainha de Sabá)
6 – “Não repareis em eu ser preta; os filhos de minha mãe indignaram-se contra mim, e me puseram por guarda de vinhas; a minha vinha, porém, não guardei.” Neste versículo a marca de resistência da mulher preta e a inveja das demais mulheres. (Rainha de Sabá)
10 – “Formosas são as tuas faces entre as tuas tranças, e formoso o teu pescoço com os colares.” (Salomão)
11 – “Nós te faremos umas tranças de ouro, marchetadas de pontinhos de prata.” (Salomão)
12 – “Enquanto o rei se assentava à sua mesa, dava o meu nardo o seu cheiro” (Rainha de Sabá)
13 – “O meu amado é para mim como um saquitel de mirra, que repousa entre os meus seios” (Rainha de Sabá)
14 – “O meu amado é para mim como um ramalhete de hena nas vinhas de En-Gedi” (Rainha de Sabá)
15 – “Eis que és formosa, ó amada minha, eis que és formosa; os teus olhos são como pombas.” (Salomão)
16 – “Eis que és formoso, ó amado meu, como amável és também; o nosso leito é viçoso.” (Rainha de Sabá)

Paz e Bem de Yeshua, o Cristo!

49 comentários:

Paulo disse...

Já se passaram dois mil anos!Quando será o dia em que as comunidades cristãs não reproduzirão o "mundo" e viverão, enfim, em plenitude, o que Paulo proclamou em Gálatas 3,28!

nana disse...

Desculpe-me,pois não concordo muito com este texto, eu tenho visto um pouco diferente, pois as mulheres negras elas tem que se impor, e não se colocar como vítimas, nós temos capacidade e muitas das vezes bem mais que as brancas. Vejo muito quando tem duas amigas uma branca e outra negra, a negra se sente inferior porque tem cabelos crespos ou até mesmo os olhos que não são claros como o da amiga, mais nós temos a capacidade que elas não tem e é com isso que temos que lutar e não ser capacho de ninguém, se estamos para servir, serviremos como o senhor Jesus nos determinar, mas se alguém quizer nos humilhar por qualquer motivo, temos que mostrar que somos ser humanos como eles e temos os mesmos direitos e deveres, pagamos impostos como eles, mais temos uma diferença quando morrermos talvez a nossa alma o Senhor Jesus colhe e à deles eu não sei, pois este sentimento o senhor Jesus reprova.

Esli disse...

Concordo com a "Nana", acho q nós como mulheres negras precisamos nós impor mais! Infelizmente, mtas vezes nós negros somos preconceituosos, temos preconceito com a nossa própria cor de pele. Vi vários casos assim, onde o próprio negro(a), sente preconceito da cor de sua pele. Já chegei a ver isso na minha família.
Cabe a nós fazermos a diferença, seja na igreja, seja no mundo secular.
Precisamos primeiro quebrar nossos próprios preconceitos, pra podermos mudar de atitude. Enquanto ficarmos nós fazendo de vítima, nada acontecerá, ou melhor, a situação apenas irá piorar.
Q Deus nos abençõe!

Mirian disse...

concordo com o seu modo de ver a situação,meus filhos negros são casados com louras.........

Negra Kell disse...

Que absurdo esse tema abordado!

O fato de os homens negros quererem mulheres brancas como forma de status independe de religião.Homem negro é homem negro.
E esse numero é de uma expansão considerável, porque aí vem homem negro evangélico, homem negro católico, homem negro umbandista, homem negro espírita, homem negro agnóstico, enfim... homem negro
Mulher negra dentro da igreja é considerada feia???? Que afirmação maluca!!!
Só se for algumas que preferem usar uma roupa que desconheço o nome inclusive, tipo um roupão ( as pentecostais que usam muito), uma roupa parecida com um vestido longo, tipo freira...Não é nem uma critica e sim, uma forma de colocar minhas idéias.

De certa forma, nem é bom afirmar isso. Se existe esse tipo de preconceito dentro de algumas igrejas e até alimentadas pelos membros, sou a favor até de que se façam denúncias. Eu desconheço essa postura.

Mas tem muito homem negro dentro das igrejas que também se sentem superiores, da mesma forma de um homem do "mundo", mas foi o que eu disse... Homem preto é homem preto, independente de religião, sua postura não difere. Parece estar no sangue!

Asè!

Alex disse...

Acredito que o texto apresenta alguns equívocos, a começar pelo titulo: na verdade, na continuação do texto a rejeição sofrida é pela mulher negra. De certo, há discriminação no contexto evangélico, mas é preciso entender que ela está dentro de um contexto histórico cultural e não podemos tomar a "Igreja" como fora deste contexto e começarmos a fazer conjecturas. A respeito das mesmas acho uma "forçação de barra" as considerações sobre a mulher negra. Se tomarmos como base as igrejas pentecostais há um número grande de negros e negras. Acho que não é suficiente o recorte de raça e religião sem levar em consideração a classe social e as relações de sociabilidade que regem também as relações entre homens e mulheres sob esta ótica.

Anônimo disse...

Realmente o problema está na igreja nós é que não queremos aceitar. Conheço cristãos pentecostais que são casados com negras mas, maltratam essas mulheres.. Conheço diversas outras
pretas que estão solteiras.
Há casos isolados de casamentos felizes mas são isolados mesmo...................

Valesca disse...

Ou eu sou muito alienada ou não sei o que acontece. Antes de ser crente tive algumas dificuldades pra namorar sim, não nego. Às vezes quando me interessava por algum rapaz, ocorria certos entraves, independente se este era branco ou negro.E tava na cara( eu acho ) que este entrave estava ligado a cor da minha pele. Eu tinha esta sensação , talvez não, sei lá, porquê sempre tem ser isso? A gente fica paranóica às vezes. Porque de todos os homens que passaram na minha vida, só alguns não me relacionei porque estes não quiseram. Talvez estes não se interessaram por mim. Rejeição acontece.
Eu nunca fiz diferenciação , todos sempre foram homens pra mim, tanto brancos , negros, mulatos, azuis, amarelos, era só me atrair. E namorei bastante, muito mesmo !!
Bom, me converti!! Sou bastista e no ano seguinte em 2000, já estava noiva. Sempre gostei de homens negros, porém só namorei três. Queria ter casado com um. Mas eles não queriam.
O noivado que fiz em 2000, em 2001 virou casamento. Estou casada há 6 anos. Meu marido é branco. Quando orava pedia a Deus um homem que me amasse de verdade e estou certa de que Deus me abençoou.
Sempre fiz parte da liderança da Igreja, assim como eu que sou negra, muito irmãos que são diáconos ou têm ministério. Temos um pastor auxiliar que é negro. Ou sou exceção e vivo num mundo paralelo, ou não sei o que acontece por aí!!! A paz de Cristo

Elane disse...

Peço licença para colocar minha opinião sobre o assunto. Sou mulher negra, militante do movimento de mulheres negras, feminista e antiracista. Gostaria de parabenizar a ousadia da matéria e da temática ao colocar na visibilidade um assunto tão negado e complexo do ponto de vista de nossa sociedade, não só dentro das igrejas. Mas analisar a partir do interior de nossas instituições e de nossa fé, realmente é muito importante, pois é um convite para a reflexão sobre um racismo velado que se opera em todos os espaços da vida cotidiana.
Tenho 4 irmãos, deles, um também é evangélico. Não é dificil saber o porque todos eles namoraram e casaram com mulheres brancas, até o que é evangélico.
Mas não culpo nosso povo pelo racismo que nos fazem ter determinadas escolhas afetivas e politicas. Acho que é perigoso acusarmos o nosso povo de racismo, pois na verdade, não somos diferentes de outro/as cidadãos/as. Vivemos todos/as (mulheres e homens de todas as cores) numa sociedade marcada pelo racismo, pelo sexismo, pela homofobia. Um mundo cheio de intolerância de todos os tipos nas igrejas, nas escolas, nas familias. Logicamente que aprenderemos a sentir, ver e ter as nossas escolhas de acordo com essa educação e dessa sociedade, negros e não negros. Isso pode justificar claramente uma pessoa negra também ser racista.Aprendemos desde sempre que ser negro/a não é legal, portanto, quem será o homem desprovido desses preceitos que poderá escolher uma mulher negra para amar e casar? Mas também acho que defemos nos abrir para esse debate e refletirmos sobre tais escolhas, qualquer dessas escolhas, são também escolhas politicas, até o casamento. Escolher entre uma mulher branca e uma mulher negra tem sido uma escolha politica para o povo negro.
Realmente o mercado afetivo para nós mulheres negras é complicado sim, e negar as causas e consequencias disso, homens negros e mulheres negras, é garantir a perpetuação desse processo racista e de enclusão desqualificada das mulheres negras nessa sociedade e consequentemente, da população negra.

Anônimo disse...

Quero parabenizar a autora pela ousadia de reconhecer e afirmar que nas Igrejas existe racismo, em especial contra as mulheres negras.
Concordo que a discriminação existe e, em algumas denominações, chegam a existir "guetos" dentro da própria Igreja.
Jovens negros e pobres são relegados a um segundo plano na obra, lideranças em Igrejas grandes geralmente são assumidas por brancos.
Quando o assunto é casamento, já testemunhei que as moças negras são colocadas sim para escanteio. Normalmente só são lembradas quando não existem outras opções.
Já presenciei em retiros, mulheres de pastores distratando moças de congregações menores por causa tanto da cor das suas peles quanto por causa das suas condições sociais.
Não acredito que a autora tenha colocado a mulher negra como vítima, ela apenas constata uma realidade presente em muitas de nossas igrejas.
O texto já valeu muito pois provocou controvérsia e, ninguém fica completamente indiferente ao participar de uma discussão como esta. A discussão é apenas o primeiro passo para luta pelo fim de préconceitos em nossas igrejas.
Por último, ver homens brancos casados com negras é algo muito raro. E negros casando entre si, também está ficando raro.
Negar a existência do racismo não faz com que ele deixe de existir.
Que a abençoe e ilumine nesta luta.

Bete Cortês disse...

Texto muito bom!!!
Os comentários também nos trazem muitas revelações:
- a negação do fato (algo muito perigoso, pois a negação não permite nem a observação para constatação e nem a oportunidade de mudança);
- o assumir a culpa (também negativo, porque nós mulheres negras não temos culpa de um comportamento condicionado ano após ano pela mídia, pela sociedade em geral e por séculos de História, ou seja, a culpa não é nossa, pois mesmo nos impondo, muitas vezes vemos o poder nas mãos de outrém que decide por nós);
- e o principal, o desejo e a disposição para compreensão e transformação quando nos depararmos com essas atitudes para conosco ( mais importante e positivo).

Amo a vida com Cristo, foi a melhor decisão de minha vida, porém hoje sei separar minha vida com Cristo das decepções que fui obtendo dentro da igreja, porque passei por um momento de muito encantamento, acreditando piamente que o fato de estar se alimentando da Palavra, faria com que todos melhorassem enquanto seres humanos (deveria ser assim) e, pelo contrário, percebi o quanto comportamentos do mundo se repetem tão curriqueiramente dentro da igreja. Presenciei vários desses comportamentos.
Me aprofundando mais sobre o assunto, verifiquei que várias ideologias colocadas numa sociedade, são tão intrínsecas que as pessoas não percebem, pois já fazem parte de seu subconsciente.
Percebi em mim também muitos comportamentos a mudar. E esta é a principal contribuição do cristianismo: fazer com que nos olhemos, numa auto-crítica justa, e nos transformemos de fato em seres humanos melhores.
Acredito que a saída seja esta mesma, qual a autora nos sugere: observar, constatar, desconstruir uma realidade imposta, para uma realidade de verdadeira igualdade e valorização das virtudes do espírito. Realidade da qual Cristo nos propõe com seus ensinamentos. Tenho uma preocupação imensa com a família, porque concordo que sua desestruturação resulta em comportamentos sociais destrutivos.
Em especial minha preocupação é com os pequeninos, porque este condicionamento destrutivo, ocorre cada vez mais cedo, desde a mais tenra idade e a medida que crescem, no mundo e na igreja, agem sem entender muito bem o porquê.

Essa frase é diz tudo:

"É preciso construir na igreja a cultura negra e estimular o amor entre nosso povo, é preciso desconstruir o machismo ocidental que desestrutura e destrói as nossas famílias."

nilson disse...

Gostei muito de sua abordagem...discordo em algumas coisas, póis a minha hist´rioa não é bem assim.
Sou negro, musico, compositor e além de outros dois empregos que tenho para manter minha familia, constituída por mim(nível secundário), minha esposa branca(formada em letras) e meu filho mestiço, pele bem clara...
Sou nascido lar Batista, econheci minha esposa na igreja, onde ela uma das mais cobiçadas e eu muito assediado, e não olhei a questão cor da pele para me casar com ela, tinhamos sim uma compatibilidade afetiva e intelectual.
A condição financeira e academica dela era bem melhor do que a minha.
O pastor que por sinal era negro(metido a branco) foi quem tentou embarcar nosso relacionamento, pensando que ela era muito pra mim, enquanto ela por sua vez, enfrentou tudo pra s ecasar comigo, e hj somos uma familia feliz, livre desses estigmas. Infelizmente ela se sente discriminada por minha familia, no mais está tudo muito bem...

Anônimo disse...

Sempre fico me questionando o que as mulheres negars estão fazendo ans igrejas, e ouvi de uam feminista uma frase intrignate " As mulheres estão nas igreja por falta de políticas públicas"
No texto há inumeros pontos que gostaria de discutir, masi irei me ater a dois em especial.
1° Quando você traz que as familias negras são desestruturadas,quando você afirma isso está fazedo-o a partir de qul ponto de vista, ou vista de um ponto? Do Branco ocidental, qual o problema em se ter duas tês e ou quatro familias? È pecado? È impuro? È indecente? È imoral? Mais esse valores da moralidade, da monogamia, do pecado foram impostos por quem a quem?
Convido as mulheres negras evangelicas a pesquisarem mais sobre a vida, os desejos e valores das mulheres negras africanas nagôs/Yorubas . Porque o que percebo é que ao tentar incorporar para nossas vidas um modus vivendi que não diz respeito a nossa cultura ao nosso modo de vida e as nossas escolhas estamos nos torturando, mais uma vez nos torturando para nós encaixarmos num molde euro-ocidental.
Precisamos discutir sexualiadade e afetiviadde numa lógica de autonomia, direitos sexuais e reprodutivos ads mulheres.
Porque que as mulheres tem que casar para serem felize? Porque ainda não conseguimos romper com as falsas promessas de felicidade matrimonial ofertadas pelo critianismo? Estou convencida de que os Homens negros precisam rever suas práticas e seus princípios para com sigo próprio e principalmente paar com as mulheres negras, mais casar se e ou não, ter uma, duas, três familias! Porque não, estou convencida de que as pessoas tem direito a fazerem escolhas o importante é que se arque com as responsábilidades dessas escolhas é necessário dar sempre o direios de escolha para a outras (os) sou favorável a relacionamentos não monogâmicos, e questiono os relacionamentos heteronormativos como modelo idéal de relacionamento.
Estou convencida de que a melhor forma de amar e ser amada seve ser definida pelas pessoas envolvidas na relação que pode ser duas três e ou mais de três se as pessoas envolvidas decidirem.
De qualquer forma fico feliz em perceber que existem pessoas dispostas a discutir os modelos de relacionamento, sexualidade e afetividade do povo negro.

Latoya Guimarães

Anônimo disse...

Casamentos poligâmicos são tão antigos - quase pré-históricos! Ou acontecem nas sociedades menos desenvolvidas!
No casamento monogâmico a família é protegida, principalmente as crianças em seu crescimento e desenvolvimento. E a sociedade se organiza melhor. Leia mais sobre sociologia!
O perigo maior para as crianças abandonadas, marginalizadas, usando drogas, e tal, é por causa da família desestruturada que se vê atualmente.
Quem acha que o sujeito deve ter 3, 4 e 5 famílias está fora da realidade.
Sou a favor do modelo ocidental. No dia em que eu quiser um modelo de tribo africana, selvangem, irei para lá.
Os bichos vivem assim e nem precisam pensar!
Para quê pensar, ter conhecimento,ter raciocínio, ter sentimentos para viver como animais?
Creio que se Deus tivesse nos criado para não termos laços nem valores, não teria nos dado inteligência. Seria um grande desperdício.
O Criador do universo - independente do nome que alguns deêm a Ele - não desperdiçaria dons com a criação do ser-humano para que este vivesse como um bando de cachorros e cadelas qualquer, vivendo em poligamias e promiscuidade, sem se valorizar nem respeitar nem a si nem aos outros.

**********************************

Se neste site não forem respeitados os princípios do cristianismo, não há razão para o nome CNNB - CONSELHO NACIONAL DE NEGRAS E NEGROS CRISTÃOS

Se quisermos falar em Nome de Cristo, devemos no mínimo, ser coerentes com seus ensinamentos.

Bete Cortês disse...

Concordo com meu amiguinho aí de cima.(saudades nego!)rs
Só não sei se isso (essa falta de apego) vem do período da escravidão, em que haviam negros selecionados somente para a reprodução (reprodutores)
e negras para parir e seus filhos (crias) eram vendidos assim que terminavam o desmame. Ou se isso vem dos ancestrais.
O fato é que o povo negro (felizmente não todos)
insiste em não ter laços familiares, como se isso fosse "ultra-pós-neo-contemporâneo". Não é. Isso é primitivo! (vide comentário de Latoya Guimãres, que infelizmente reflete a cultura afro, fora de Cristo)
Esquecem-se de que ter uma família e cuidar dela (filhos, mãe, pai, avós, bisavós, etc.) ainda é a melhor forma de mantermos
a cultura, a tradição de um povo e preservarmos as pessoas que amamos. E se houver um ensinamento bom a agradável (Cristo), por que não seguir?? Há sempre espaço para coisas boas. O cristianismo é uma delas.
O cuidado/convivência com a família, os amigos,(e até dos inimigos) é a mais perfeita forma de amor e respeito.
Ainda que não pensem em Cristo com Deus-Pai, Salvador,
pensem nele como filósofo e pensador para entender
que seus ensinamentos são os melhores para uma
sociedade justa.
Ou seja, é possível reinvidicar direitos sem ódio.

Amar ao próximo como a si mesmo e a Deus sobre todas as coisas,
sempre será o melhor a fazer.
E a igreja evangélica (Jesus)sempre estará aberta para todos.
"Vinde como estás"
É a Ele que buscamos. É seus passos que queremos seguir.
Ele propõe a mais justa das igualdades.

Bete Cortês disse...

"não sei se isso (essa falta de apego) vem do período da escravidão, em que haviam negros selecionados somente para a reprodução (reprodutores)
e negras parideiras e seus filhos eram vendidos assim que terminavam o desmame. Ou se isso vem dos ancestrais."


Proponho aos historiadores do site, em especial ao Walter Passos, (que admiro bastante e até comentei sobre seus textos em aula com o professor da disciplina de Cultura Afro-Indígena Brasileira, do meu curso)
que nos esclareçam de onde parte essa cultura do desapego no povo negro.
Está ligado ao passado de reprodutor atribuído ao homem negro pelos seus escravizadores?
Ou aos abusos sofrido pela mulher negra, usada pelos seus senhores?
Ou ao processo (tão conhecido) de embranquecimento da raça proposto por alguns "gênios" em que a mulher negra foi vista pelos brancos como reprodutora de "mulatos"?
Ou vem da cultura de tribos africanas que (não podemos deixar de ver)desde tempos remotos até hoje disputam e guerreiam entre si, não respeitando-se umas às outras. E os principais prejudicados são mulheres e crianças.(como sempre)

Enfim, proponho novo tópico para esse assunto. E desde já agradeço. rs

NESTOR FIGUEIREDO disse...

Sou branco. E achei esse site sem querer, por estar pesquisando a beleza negra. Meu avô materno, indiretamente, me fez despertar e ver ainda jovem, a beleza da mulher negra! A ponto de hoje estar com 53 anos, divorciado e decidido que se um dia voltar a viver com alguém, será com uma mulher negra em toda sua negritude e plenitude de alma. Capto em todo o meu raio de visão, somente a mulher de cor negra para onde focar. Afinidade estritamente espiritual. Coisa de alma. Tudo isso para dizer, q pouco sei da mulher negra dentro da igreja evangélica, mas q está caindo por terra esse conceito de racismo. Seja lá onde ele esteja!

Anônimo disse...

miqueias
nao deveriamos desfrutar da liberdade que cristo nos deu ao inves de ficarmos discutindo coisas deum passado de dor? enquanto remoemos esse passado muitos jovens negros estao se perdendo que tal olhar frente e pra cima? para aquele que certament tem poder pra transformar uma pessoa seja negro ou branco, amarelo, ou qualquer outro adjetivo,é tempo de mudar nossa mentalidade.

Anônimo disse...

Sou negra e evangélica e concordo com este artigo. É muito difícil uma mulher negra ser aceita para namorar, constituir uma família. Sou uma jovem adulta, inteligente e não sou feia e até o dia de hoje nenhum rapaz cristão se aproximou de mim.
Sinceramente acho que existe sim hipocrisia na Igreja em relação a este assunto.

Anônimo disse...

Sou uma mulher negra de meia idade.Concordo com a Elba, nenhum rapaz da Igreja ou fora dela interessava-se por mim.As pessoas diziam que eu era bonita, porém os rapazes nunca me notavam.Sou uma mulher culta,trabalhava e estudava.Um dia encontrei na Igreja um homem na mesma situação que eu (rejeitado), casamo-nos,ele foi minha tábua de salvação e eu a dele e ponto final.
Iara dos Santos

Anônimo disse...

eu nao concordo com nada que a elba escreveu

Anônimo disse...

Concordo com esse artigo, ao mesmo tempo parabenizo a autora, creio que não adianta negar uma realidade que é tão comum em nossas igrejas. Sou mulher negra,evangélica, professora universitária e em mais de 6 anos congregando numa grande igreja evangélica nenhum rapaz jamais se aproximou de mim, com qualquer tipo de interesse, namorar, paquerar...

Anônimo disse...

É isso aí...o pior cego é aquele que não quer ver!!!!!!! E a maioria dos homens negros não querem ver a verdade, não admitem que discriminam a mulher negra, evangélica ou não! Em relação ao negro ( e branco )evangélico, no meu entender, este racismo é pior ainda, já que no Livro da Vida, está bem claro que este tipo de atitude ( o racismo) é DEPLORÁVEL- na minha opinião é um caso grave de BURRICE!!!, coisa de gente com pouca inteligência.
Homens negros que ignoram mulheres negras - e o fazem abertamente,nem olham prá nós! - só namoram louras e se casam com brancas , dizem que não , não é racismo, aconteceu...Ora, façam o favor de respeitar minha inteligência. Pensam que estão enganando quem?! Pa-lha-ça-da! Eles não querem é admitir o próprio racismo!, não querem admitir que têm VERGONHA da própria raça; consideram a mulher branca como um troféu, um passaporte social.
NÃO SOU RACISTA, NÃO ACEITO QUALQUER TIPO DE DISCRIMINAÇÃO, segregacionismo, seja o que for. Conheço casais interracias cujo fundameento da relação foi e é amor. Mas, peloamordeDeus, querer me convencer que todos , TODOS os homens negros bem- sucedidos se apaixonaram por brancas ? É muito burrice de que tenta me convencer! Há casos de jogadores de futebol, por exemplo, que antes do sucesso, antes de ganharem dinheiro, estavam com uma neguinha, depois do sucesso tinha era nuita branca fazendo fila e qualquer negócio pra pegar o mané! Repito : para pegar o mané!E eles, os meus irmãos negros, detestam quando lhes jogo a verdade na cara
Este assunto, racismo, me deixa ácida, não é nada pessoal, galera!
Os brancos também têm vergonha, na sua maioria e vejam que interessante, em países onde não houve a TRAGÉDIA da escravidão , os homens brancos não tem a menor vergonha de se relacionarem com mulheres negras, daí que mulheres negras têm maiores possibilidades com homens europeus! Incrível,não?
A probabilidade não explica o fato de que no Brasil, de um modo geral, os homens negros correm das mulheres negras.Haja amor! E só em relação às brancas!
Somos rejeitadas mesmo, quem não conhece um mané (definição para " mané " acima)que esnobou uma negrinha linda, vitoriosa, cheirosa, educada e preferiu a branca nível social mais baixo, sem cultura ? mal ajambrada ? Todo mundo conhece mais de um caso infelizmente! Quantos de nós conhece um branco que tenha preferido uma negrinha linda , vitoriosa, cheirosa, educada a uma branca? Só os negros é que dizem que foi " por amor", e este " foi amor" significa que a maioria dos homens negros não CONSIDERAM a mulher negra digna de ser amada, estes homens não nos vêem ?
Alguém aí comentou que seus quatros filhos negros se casaram com mulheres brancas, esta senhora deu razão ao artigo e esta senhora, a dona Míriam conhece os filhos que têm. Dona Míriam sabe.
Ah,muita gente vai brigar comigo, vâo dizer que sou mal amada, que estou com inveja. Mas, não sou eu o problema. O problema é muitos negros têm é complexo de inferioridade e quando alguém grita a verdade, este sentimento de inferioridade vem à tona e ninguém gosta de expor seus podre, mas , pode procurar, a baixa estima está lá. Não precisam procurar com lupa, não, é só provocar e a vergonha jorra por todos os poros. Já ouvi muito mané dizendo que tinha que branquear a raça! É mané ou não ? Um amigo meu, negro, casou -se com uma branca que antes de conhece-lo dizia em alto e bom som : "preto prá mim nem pensar". Esta senhora , até hoje é insuportável e trata mal todas as negras. É forçoso informar que a esposa deste rapaz, não tinha nem o primeiro grau completo e não " tinha onde cair viva, nem morta" quando o conheceu. Ele, profissional liberal...É UM MANÉ, nénão ?! Bem , namorei nuito mais negros que brancos, e infelizmente , casei -me com um negro que havia se separado de uma branca. Foi...horrível, ele se classifica como marrom bombom - que cor é essa ?, insistia em dizer que não era negro! E contava piadas racistas! Precisei me impor e até hoje este coitado não explicou porque sabia abenas piadas que inferiorizavam negros; não sabia nenhuma de português, nenhuma de judeu, de japonês... Todos os seus irmão e irmãs num total de 11 filhos,casaram-se com pessoas brancas !!! Má sorte a minha ! O fato é que não aguentei tanto complexo e caí fora!
As mulheres que não concordaram com Makeda, devem sem mais...como vou dizer..devem ser mais realistas e sairem da terra do faz de contas, porquê somos vítimas , sim! Devemos é lutar para deixarmos de sermos vítimas; voces se deixaram convencer com a mentira de que no Brasil não hé racismo ou preconceito. Meus Deus, acho que vocês minhas irmãs, estão dormindo, acordem! Acordem! Somos vítimas quando a patroa não nos permitem sair mais cedo do trabalho para estudar; somos vítimas quando umnegro pensa que a branca é melhor, mais bonita, mais gostosa, porque somos vítma de desprezo deles de dos brancos. Somos vítimas quando a mídia só valoriza os brancos ,a beleza branca, quando a beleza negra é tão bela e tão digna de nota quanto a outra ! Somos vítimas quando um negro pensa que só uma branca pode inseri -lo no contexto social. Minhas irmãs, a quem vocês querem enganar? A vocês mesmas? Não se iludam, estão enganando apenas a vocês mesmas.
Não, não tenho nenhuma revolta, não, não sou mal amada. Apenas vejo por detrás da maquiagem social, ouço além do que dizem os meros fantoches.

Abraço a todos.

matuzalém disse...

Sou branco, não evangélico. Acho as neguinhas lindas, principalmente as pretas de tranças. Porém, o que acontece na prática é que sou maltratado pelas negras e bem tratado pelas brancas. As pretas sempre me ofendem, me ignoram, enquanto as brancas me tratam muito bem. E isso é uma pena...

Anônimo disse...

Ci:
Bem sou evangelica e negra da mesma igreja desde que nasci, sempre tive complexo de inferioridade devido a midia e ao mundo preconceituoso , porém nunca aceitei e nem me entreguei a essa situação tbm nunca fiquei procurando homem pra casar e muito menos pensando na sua cor, hoje sou casada há 8 anos, tenho 32anos eu e meu marido(branco) estamos cursando superior estou grávida e feliz
O primeiro passo é saber que é amada por Deus , buscar primeiro o reino dos céus e as outras coisas vos serão acrescentada, ler a biblia e livros que vão fazer vc crescer espiritualmente e como pessoa , viva se vc olhar sempre pra baixo achando que nunca ninguém vai te olhar , imagine levante a cabeça vc pode ter nariz e boca grande mas se vc se valoriza se ama é diferente e outra eu particularmente gosto de estar próxima de pessoas inteligentes não estou falando de estudos e sim que conversem se informem tente também vc vai conseguir

Anônimo disse...

isso tudo é besteira pessoal,as pessoas estão cegas espiritualmentes,DEUS fez todos absolutamente iguais,nós somos pessoas lindas dinate dos olhos do Senhor,qual o problema de um branco se casar com uma negra ou vice e versa,e um negro se casar com uma branca,ou até mesmo da mesma raça,a ordem de JESUS foi de amarmos uns aos outros.

geraldo disse...

O comentario e bastante polemico. Quero so deichar minha opiniao poi, sou da cor clara e sou louco por mulheres negras. Me casei com uma mulata muito linda e meu relacionamento com ela e muito bom. O que tenho tambem observado, existe muito preconceito da propria mulher negra da sua cor e dos seus cabelos tambem. Esse costume de alisar cabelo eu acho um absurdo, pois, acho o cabelo natural da mulher negra lindo, lindo, lindo. mulheres negras, se amem e se valorisem. Voces sao LINDASSSS.

lu disse...

olá a paz ,concordo que "ainda "tem muito preconceito sim com os negros,sou filha de mãe negra epai branco ,sou mrorena clara ,e tenho cabelo liso,nunca passei por nada parecido com discriminação mas quando eu andava com minha mãe na rua quando criança,pergutavam se a minha mãe era minha babá,era muito chato eu ficava com muita raiva ,outras situações ;quando minha mãe ia para a reunião da minha escola todos perguntavam se eu era adotada,as vezes ,na rua me perguntavam se eu era adotada ,chegava em prantos em casa;enfim senti e ainda sinto esse descaso acontecer,infelizmente ;prova disso quando eu me irmã saimos juntas. que pena !mas Deus mudará essa situação ,eu creio!vamos orar por isso;Deus abençoe vcs!

Anônimo disse...

Ola,
Sou negra, formada em Letras,cacula da familia; e fui criada em igreja desde meu nascimento ate 18 anos. De acordo com as minhas experiencias sociais, eu concordo com o artigo completamente. Eu presenciei varios casamentos lindos entre brancos,ou branca economicamente iferior com mulato ou negro. Devo salientar tambem, que sempre...sempre os noivinhos era brancos. Este foi o ambiente que eu cresci. As irmas negras estavam todas solteiras e continuam. Algumas pegaram o pior e o mais desonesto homem negro. Tenho uma irma, 51 anos, solteira. Outra com 49 anos casou-se com um verdadeiro sapo e agora esta viuva. Bem, no meu caso eu comecei enxergar as coisas quando eu estava com 15 anos. Nunca era percebida pelos meninos, tinha muitos amigos, e era so isso!
Durante meus 20 anos, eu comecei achar que eu nunca encontraria ninguem; entao eu simplesmente nao fui atras por que achei que ia perder tempo. Afinal eu viajava, estudava, e trabalhava. A unica coisa que me angustiava, era ver que minha familia estava prestes a terminar. Nos nao iriamos ter continuacao da nossa familia. que terror! E uma forma de genocidio.
Aos 23 anos, em 1997, encontrei meu marido em um site da internet. Ele e branco, americano, universitario, divorciado. No fim daquele ano, ele foi ao Brasil para me conhecer. Decidimos ficarmos somente como amigos. Somente mensagens atraves da net. Depois de 1 mes, ele pediu para casar com ele, e eu aceitei. Ele comecou arrumar toda a documentacao, e no final de 1998, em dezembro, eu estava embarcando para Oregon e nos casamos em 2 semanas. Hoje nos temos 2 lindos filhos, e eles sao o orgulho da minha familia.
Eu, mostro a foto das filhas do presidente Obama para meu filho, e digo como elas sao tao lindas. E gostaria que ele namorasse e casasse com meninas como estas.
Um abraco,
Nao se desespere,um dia as coisas irao mudar, porque agora sabemos do problema que assola nossa comunidade. Nao deixe nossa etnia desaparecer, desta maneira tao envergonhosa.

Fernnandah Oliveira disse...

Há dois anos este artigo foi escrito e a polêmica continua a mesma: à que/quem serve a mulher negra na sociedade pós moderna? Qual o nosso verdadeiro papel e nossa identidade? Se somos mulheres de fato, deveríamos ser mais valorizadas pela sociedade, mas isso não acontece.

O valor que temos é da qualidade do sexo e da comida que fazemos para o desfrute do outro. Nós mesmas, pouco ou nada participamos destes momentos.

Infelizmente, os brancos conseguiram o que queriam: dizimar a população negra que, estatisticamente é a que morre mais, a mais desestruturada e individualmente a mais infeliz.

Anônimo disse...

Olá belíssimo tema abordado e serve de reflexão,para o nosso modelo de sociedade a quela vivemos.Para muitos que pregam a ieia da democracia racial vê esse tema como instigação ao racismo,mas é a mais pura verdade,devido ao modelo de sociedade em que vivemos que é racista,machista e católico,etão com certeza a mulher negra é sempre vítima de toda sorte de preconceito e exclusão.
Não sou evangélico,mas infelizmente isso acontece sim dentro das igejas e das demais religiões no Brasil,além do mais no mercado de trabalho,na sociedade em geral...porque a negra ficou apenas como objeto sexual 'AS MULATAS ANTIGAS MUCAMAS"
Que façamos uma reflexão e repensemos no nosso modelo de mundo

Anônimo disse...

meu nome é amaro braz meu email é amaro.braz@yahoo.com.br sou de uma ONG que luta pelo direito dos negros,qualquer coisa me manda um recado.

Anônimo disse...

Olá belíssimo tema abordado e serve de reflexão,para o nosso modelo de sociedade aqual vivemos.Para muitos que pregam a ideia da "democracia racial" vê esse tema como instigação ao racismo,mas é a mais pura verdade,devido ao modelo ardiloso do racismo em nossa cultura.A sociedade que é racista,machista e católico,prega a falsa igualdade mas vejamos como são tratados evangélicos e não evangélicos e veremos como são tratados negros e brancos,e mais que isso querer imputat a mulher negra a sua exclusão,é como se,falarmos que somos pobres porque queremos ou então somos expulsos da Europa porque fizemos por merecer,então com certeza a mulher negra é sempre vítima de toda sorte de preconceito e exclusão.
Não sou evangélico,mas infelizmente isso acontece sim dentro das igejas e das demais religiões no Brasil,além do mais no mercado de trabalho,na sociedade em geral...porque a negra ficou apenas como objeto sexual 'AS MULATAS ANTIGAS MUCAMAS"
Que façamos uma reflexão e repensemos no nosso modelo de mundo

melkate disse...

Sou negra, filha de mãe solteira e pai alcoólatra. Sou de origem humilde e vinda de escola pública. Tenho 22 anos e através do vestibular passei na faculdade pública. Sou estudante de engenharia na USP. São 750 vagas para o curso de engenharia por ano, entram 100 mulheres por ano e apenas uma é negra. Quando eu era adolescente alisava o cabelo. Hoje uso o natural, porque percebi o quanto eu estava sendo ridícula. Imagina, eu fazia isso porque só queria que me deixassem em paz (bulling).Agora , na USP, o preconceito é grande. Tenho poucos amigos e estou enfrentando muitos perrengues para conseguir me formar. Problemas familiares, financeiros, depressão... . Tudo puxa em sentido contrário. Mas eu estou lá dia após dia, e continuo, nem firme nem forte. Mas sabe o que acontece? Não tenho as melhores notas, possibilidades, condições, porém não estou a fim desistir. Não adianta racismo, preconceito, humilhação, questionarem minhas capacidades, tentar me convencer que não é o meu lugar... Nada vai me fazer desistir, vou me formar no meu tempo e com TODAS as minhas dificuldades. Uma das minhas principais características é ser filósofa, leio e estudo tudo sobre isso sempre que tenho tempo. Sejamos nós, mulheres negras, a diferença que queremos ver e um dia quando olharmos novamente, para nós, veremos que chegamos ,independente do que nos disseram ,até onde queríamos. Bjs
Kate Moraes
melkate@ig.com.br

Bernardino disse...

Todo esse texto é muito interessante, mas mais me parece um belo motivo para as negras procurarem serem elas próprias a desestruturarem as famílias dos outros. Essa conversinha toda da desestruturação da família é claramente sobre os casos em que as negras, não se contendo com o ódio racial que possuem sobre as brancas, resolvem engravidar de homens negros, casados ou unidos de facto. E fazem-no sob esse tipo de pretextos. Não querem saber se vão estragar as famílias já criadas, só querem acreditar que são umas deusas sexuais e que por isso o homem gosta é delas, sendo que o seu racismo contra a mulher branca não as deixa ver claro o quanto um homem negro ou não pode amar, desejar e gostar de fazer sexo com uma branca. Daí que à primeira oportunidade engravidem do homem já comprometido, forçando a todo o custo para que ele assuma as duas. Desestruturadoras de lar são as mulheres que falam assim. Por causa de um discurso que só cabe nas cabeças delas, só para não se sentirem culpadas, vão estragando amores lindos, procurando todos os dias, através de estratagemas leais ou não (muitas vezes com mentiras), estragares lares de paz e de felicidade.

Bernardino disse...

Todo esse texto é muito interessante, mas mais me parece um belo motivo para as negras procurarem serem elas próprias a desestruturarem as famílias dos outros. Essa conversinha toda da desestruturação da família é claramente sobre os casos em que as negras, não se contendo com o ódio racial que possuem sobre as brancas, resolvem engravidar de homens negros, casados ou unidos de facto. E fazem-no sob esse tipo de pretextos. Não querem saber se vão estragar as famílias já criadas, só querem acreditar que são umas deusas sexuais e que por isso o homem gosta é delas, sendo que o seu racismo contra a mulher branca não as deixa ver claro o quanto um homem negro ou não pode amar, desejar e gostar de fazer sexo com uma branca. Daí que à primeira oportunidade engravidem do homem já comprometido, forçando a todo o custo para que ele assuma as duas. Desestruturadoras de lar são as mulheres que falam assim. Por causa de um discurso que só cabe nas cabeças delas, só para não se sentirem culpadas, vão estragando amores lindos, procurando todos os dias, através de estratagemas leais ou não (muitas vezes com mentiras), estragares lares de paz e de felicidade.

Marcos disse...

Queria saber aonde tem mulher negra solteira bonita a principalmente afim de algum homem negro.
100% das mulheres negras bonitas, universitarias ou de bairro de classe media sempre sõa facilmente conquistadas por homems brancos. Mas as feias de todas as cores, as rejeitadas pelos bonitões brancos, sempre vem com a mesma desculpa, a desculpa que homem negro só quer mulher branca etc. Sejem honestas com voces mesmas e decente com as outras pessoas. Por acaso se você que inventou esse absurdo fosse linda como as cantoras negras americanas, voce ia dar chance a um homem negro? claro que não!! Seres humanos sempre querem o que é melhor para sí. Se eu tiver de escolher uma negra linda honesta e largar uma branca interesseira, e lógico que a opção da negra seria melhor. Então por que do contrário sempre é taxado como racismo. Vejo muitas negras indo para europa com europeus muito mais velhos, agora me pergunte se elas são feias. As feias de qualquer cor são sempre rejeitadas, só as negras ainda não pereceberam isso. Acha que todo mundo tem que casar com elas etc...procuem um homem feio então...será que vcs querem um negro feio? Vão para universidade, vão fazer intercambio, vão fazer mestrado fora do brasil, vão ser independente e para de mendigar amor aos outros.

Anônimo disse...

Principalmente nas igrejas pentecostais, se ja e dificil ser mulher, imagine ser negra, ja que o "bonito" e ter cabelo longo e liso. E como "e pecado se maquiar", a mulher em geral precisa ser muito bonita para "vencer a concorrencia"! Incrivel que, no caso das mais "santas", ou seja, aquelas que nao se pintam, usam roupas simples etc sao as que parecem invisiveis na idade de se casar, principalmente se for negra.

Anônimo disse...

Concordo com o texto,há preconceitos.
As solteiras negras tem dificuldades
de casarem em igrejas evangélicas.
Querem brancas, e novinhas.

Anônimo disse...

na igreja ocorre o racismo velado.sou negra
estudada e solteirona.A unica
esperança da mulher negra é Deus,
mas tudo indica que ele prepara
casamentos só para as brancas.

Anônimo disse...

homem negro? to fora sou parda tenho traços finos sou bonita e faço academia adoro artes em geral gosto muito de rock ,metal musica classica e r&b nao casaria com um negro homem para mim e so europeu/gringo tem pq os mesmos tem muito mais cultura são bem mais atraentes e culto do que os homens brasileiros em geral

Anônimo disse...

Ola querida pelo que eu li o preconceito está em você se ame mas, sou clara tenho 38 anos me considero uma mulher atraente sou solteira,tenho sim vontade de ter um companheiro mas nossa espectativa não está no homem por que se você se sente só pede para o Senhor preencher esse vazio,como você disse homens só querem s se aproveita de mulheres dessa idade.Ja aconteceu comigo de quererem se aproveita por eu está só "homens que se dizem evangélicos"até homens casado da igreja e isto me surpreendeu mas eu repreendo em nome de Jesus esses lobos vestidos de cordeiro e os solteiros perço pra Deus me revelar e me mostrar.E agradeco muito a Deus pois tem mostrado e máscara desses lobos caem,pois creio que no tempo certo Deus vão mostra a pessoa certa mas se não for de sua vontade de casar de uma coisa eu quero ter certeza da minha salvação casada ou não eu quero é Jesus.

Anônimo disse...

Bom primeiramente sou um homem que aprecia a raça negra......tenho sonho de casar com uma negra evangélica, tenho 30 anos......e sempre peço pra Deus preparar para mim....meu nome é. Tiago Rolon....está escrito assim no Facebook...

Ebano disse...

Concordo com o texto em todos os sentidos. .Sou evangelica ha mais de 40 anos, nasci em um lar cristão. filha de pastor, cantora, estudada e bonita. Namorei com alguns brancos da igreja, mas sem nenhuma intenção da parte deles de compromisso futuro.Casei-me com um negro filho de pastor, musico, bem menos estudado que eu, tive filhos, fui feliz,fomos ungidos pastores e vivi durante muitos anos uma vida de aparência para não causar escândalo na igreja aceitei conviver com mentiras e traiçoes que ocorriam com as proprias irmãs da igreja, chegando ate nascer uma criança em uma dessas traições...perdoei....e ele me traiu de novo de novo de novo...até que ele saiu de casa para assumir um relacionamento com uma moça de uma igreja que constantemente faziamos eventos 20 anos mais jovem...essa por sua vez disse que estava em oração para que Deus desse o meu marido pra ela...sofri e muito ...depois de 01 ano ele se arrependeu e pediu pra voltar...não aceitei e ele então se casou com a moça dizendo que a culpa dele estar se casando era minha por não o aceitar de volta..porque pastor não pode ser solteiro e bla bla bla ...sou bonita, pastora, formada em uma universidade, cantora, divorciada e SOZINHA...sofro precoceitos por todos os lados...mulher, divorciada e negra apaga todas qualidades como ser humano que possuo..tenho orgulho do que sou, amo a minha raça... mas o preconceito fere a alma, faz doer o peito e transbordar os olhos

Negra Rô disse...

Nana, discordo de você, quando diz que a mulher negra não se dev e fazer de vítima. nós não se fazemos de vítima mas, o que foi escrito neste texto, é o retrato do que acontece na sociedade, de uma forma geral sendo que, aí nos mostra o que acontece dentro das igrejas. O racismo e machismo existe em todos os lugares e na igreja, não poderia estar de fora e, o que você falou de ter duas amigas brancas junto e uma negra e, a negra se sentir inferior, é porque a sociedade nos colocam como inferior e isso, já vem deste 450 anos atrás, quando os brancos trouxeram a força os nossos ancestrais negros e, trataram as nossas ancestrais como lixo e até hoje a sociedade nos tratam sim como lixo. Temos que ter autoestima? Com certeza. Temos que superar isso? Com certeza mas, precisamos nos unir e nos ajudar.

Homem Selvagem disse...

Olá a todos eu estou a procura de uma mulher negra que queira realmente um namoro sério moro em ponta porã sou evangélico tenho 33 anos divorciado, um filho de sete anos meu email é nilson _bv@hotmail.com se precisar eu mudo de cidade!

Homem Selvagem disse...

Gostei muito do tema abordado e acho a mais pura realidade! Aproveitando eu estou a procura de uma mulher negra que queira realmente um namoro sério moro em ponta porã sou evangélico tenho 33 anos divorciado, um filho de sete anos meu email é nilson _bv@hotmail.com se precisar eu mudo de cidade! Sou branco e acho a mulher negra a mais bela entre todas sempre admirei muito e agora quero casar com uma!

Homem Selvagem disse...

Oi gostaria que me procura-se pra conversar concordo com você estou a procura de uma mulher negra para ser minha cara metade meu email é nilson_bv@hotmail.com

Anônimo disse...

não acredito que homens negros se casem com mulheres brancas por interece, a questão é que se é pra combater o racismo nas igrejas nada melhor que casais inter-raciais , pq diante de DEUS todos somos iguais e acho que DEUS se importa mais com o amor do que com a cor.

PRETAS POESIAS

PRETAS POESIAS
Poemas de amor ao povo preto: https://www.facebook.com/PretasPoesias