domingo, 27 de abril de 2008

LIVRO AFRO-REFLEXÕES


Por: Ulisses Passos. Acadêmico de Direito, Pan-Africanista e Presidente do CNNC/BA. Pseudônimo: Aswad Simba Foluke. E-mail: ulisses_soares@hotmail.com


video


DESCRIÇÃO
O Livro Afro-Reflexões de Walter Passos é voltado para a resignificação africana, a mudança dos conceitos eurocêntricos e um olhar afrocentrado e panafricanista. Este é, sem dúvida, um importante instrumento para o povo preto na diáspora. Serve como reflexão e introspecção ao pensarmos à nossa ascendência africana.
Com linguagem acessível o livro contém diversas reflexões acerca do dia-a-dia do povo preto. São temas cotidianos vislumbrados com uma nova perspectiva, em que o autor faz uma reflexão sobre a capa dos cadernos dos estudantes, nomes e sobrenomes da família preta, os relacionamentos amorosos, discute o mulatismo, discorre sobre o Cristianismo de Matriz Africana, a esperança da Nova Terra, a mulher preta na Bíblia, o medo das crianças pretas no Brasil, analisando o discurso de dominação e preconceitos entre outros temas de grande relevância.
Um ótimo presente para todas as idades proporcionando momentos de reflexões que mudarão sua perspectiva de enxergar o mundo.

LEIA ALGUNS TRECHOS DO LIVRO AFRO-REFLEXÕES:
O NOVO NOME A NOVA TERRA
“Essa transformação na Nova Jerusalém é um dos motivos da nossa fé, é uma das maiores esperanças da igreja, um dos maiores sonhos onde verdadeiramente todos seremos iguais, sem opressão de gênero, sexismo e racismo. Sem as importâncias intelectuais, onde os títulos obtidos nessa existência de nada valerão, mas, a fé advinda do próprio Deus, o doador da fé que nos foi dada através de Yeshua. O qual nos preparou um lugar antes da fundação do mundo, e esse lugar é a África reconstruída”.

OS MEDOS DAS CRIANÇAS
“As crianças brancas falaram abertamente que não tinham medo do bicho-papão, mas de adolescentes que vivem nas favelas e, com eles, a violência; as crianças negras tinham medo da violência de onde viviam, e uma das meninas negras dizia que os violentos eram da cor epitelial dela. Incrível essas descrições formuladas pelos detentores do saber: as crianças.”

DISCUTINDO O MULATISMO
“A ideologia do branqueamento criou cores epiteliais, estigmatizou os mestiços e assim muitos querem ser aceitos pela sociedade, reprimem e repreendem a sua identidade afro.
O racismo no Brasil foi muito bem elaborado, diferente do que ocorreu no USA aonde o racismo se determina por origem, sua ascendência preta determina se você será ou não discriminado racial, enquanto aqui à cor da pele determina o que nós somos, e o mestiço no Brasil não sabe na verdade o que é, não são culpados.”


SOLIDARIEDADE NA DIÁSPORA
“Nós pretos na diáspora africana perdemos muito do ato solidário através da escravização e forçadamente aprendemos a pensar e agir como os europeus ocidentais que invadiram o continente africano e seqüestraram os nossos antepassados, os escravizando, e nós os seus descendentes, esquecemos muito do referencial solidário vivenciado na África - Mãe e com os nossos ancestrais em terras afro-americanas. Os caucasianos nos ensinaram a olhar o nosso legado cultural com os olhos deles, articular o pensamento com as filosofias européias, como se não tivéssemos conhecimentos filosóficos antes da Europa...”


SOBRE O CRISTIANISMO DE MATRIZ AFRICANA
“A grande questão é a desinformação que o cristianismo é uma religião de matriz africana, isso se deve ao desconhecimento da África, felizmente os mais sérios pesquisadores e panafricanistas, sendo alguns deles seguidores do candomblé já afirmam categoricamente essa verdade: O Cristianismo é de Matriz Africana.
Os europeus se apropriaram do cristianismo e o transformaram em uma religião violenta que entre os seus momentos brancos instituiu as cruzadas, a inquisição, a escravidão dos povos africanos e a destruição de civilizações ancestrais em terras da Oceania e das Américas.”


O AMOR ASSENZALADO
"O homem e a mulher preta precisam se reencontrar fora da senzala e reconstruir no útero do ser preto um novo relacionamento de respeito e amorosidade, lembrando sempre que somos frutos de um amor depreciativo formulado nas senzalas da escravidão. Não estamos mais abandonados e jogados na fétida senzala de amores depreciativos, por isso não devemos ter medo de amar. O amor deve ter início na auto-afirmação do ser preto..."

DADOS TÉCNICOS:
Edição: Independente
Ano: 2008
Número de páginas: 150
Formato: Médio

2 comentários:

Anônimo disse...

Grata por pode manifestar meu ponto de vista nesse mundo onde vivem os ÍNDIANOS E DALITS. Fico pasma de saber que orgãos da paz deixem esse povo com muito preconceitos e fazer dos dalits viver em um mudo vergonhoso e cruel ..
Nosso mundo de idéias são pequena para quem não sabe os horrores desse pobre povo de castas onde prevalece os mais abastados ,
Deixem os dalis filhos de Deus viver com a mesma dignidade dos seres humanos que faz parte desse planeta terra..
Odeio preconceitos que somente cria dor e discórdias
Dalits existe somente nas cabeças quem convém

Pindoram' África disse...

Amados(a) Irs(a) no SENHOR YESHUA! Ainda sinto saudades dos tempos antigos quando para fazermos algo era preciso nos reunir em algum lugar e nos unir em torno de um objetivo, não consigo me adaptar à era virtual.
Fico feliz por mais uma publicção do Prof. Valter e quero reler os que já li e ler os novos livros numa linguagem crítica, este o objetivo de meu projeto fac/escola - empresa aberta de economia solidária - leitura dos clássicos da literatura popular afr'índia.
Participe da 3ª cnir & am conferência da igualdade reparação e associações de moradores(a) - internacional.
101 anos da Assembléia de Deus - 180 anos da SPD, faça de nossa a sua casa, basta se filiar, o CLCRMRQ - Centro Litero Cultural e Recreativo Manoel Raimundo Querino é um instituto de pesquisa e de formação profissional, temos diversos cursso de língua e literatura estrangeiras, quero aumentar o número de curso e alunos(a)- formar interprete / tradutor(a) juramentado(a). A ali_C - Ana Alakija está nso EUA, sua fª Amina temumaempresa de cinema, aproveite p/ filmar os livros e fazer hq animado - abraço Jonicael voltou a atuar.
Estou na PIEIA e preciso de todo apoio que puder conseguir p/ realizar a cnir&am - feira das nações abençoadas - 1 em cada colégio - bairro p/ fim da greve dos(a) art'educadores(a) - Festival de Cinema Tatú de Ouro - quanto é o livro de Valter?
Participe 101 anos da Assembléia de Deus - 180 anops da SPD Atalito / PIEIA - CSU

PRETAS POESIAS

PRETAS POESIAS
Poemas de amor ao povo preto: https://www.facebook.com/PretasPoesias