sexta-feira, 19 de outubro de 2007

NÃO AS MISSÕES CRISTÃS NA ÁFRICA!


Por Walter Passos. Teólogo, Historiador, Pan-africanista, Afrocentrista e Presidente CNNC – Conselho Nacional de Negras e Negros Cristãos.Pseudônimo: Kefing Foluke. E-mail: kefingfoluke@hotmail.com

“Hoje, vejo a necessidade de nós pretos sairmos da invisibilidade e descobrirmos a África abençoada dos nossos ancestrais dentro de nós”. Walter Passos.

Incrível que pareça, ainda há no seio do protestantismo nacional, grupos que discipulam jovens para se tornarem missionários na África. Quais são as motivações desses jovens de todas as cores epiteliais a sentirem-se comovidos para as missões em território africano? Que continente é este que precisa de missões cristãs? Por que jovens pretos se alistam nesses grupos missionários?
São perguntas que surgem em minha mente. Quando criança também desejava ser um missionário no continente africano, abandonar minha família, envolver-me no mato - palavra incorreta e medonha para designar floresta, essa nossa língua brasileira tem cada uma: mato,mata, significando floresta, depois dos portugueses matarem a floresta na sua colonização insana, o nome ficou, fixou-se até interessante, floresta como sinônimo de mato e mata. Começou com os portugueses matando florestas e índios, tendo como conseqüência o “matamento” e destruição do ecossistema brasileiro, fato esse também não discutido nas igrejas. Da mesma forma o vocábulo “desmatamento”, porque partindo dessa ótica tratar-se-ia da retenção da destruição das florestas, do término do “matamento” da flora, e não como é empregado, no sentido antônimo, de destruição, aniquilação da mesma.
Voltando a idéia das missões, eu sonhava em ir para a África pregar a verdade aos negros africanos. Eu os considerava atrasados e dignos de pena. Lia gibis de Tarzan, homem branco criado por macacos que era superior a todos os africanos, além disso, ouvia relatos de missionários que chegavam do continente africano. Eu achava interessantes esses relatos missionários, e em qualquer igreja da minha cidade quando chegava um missionário (a) eu queria ouvir para entender as missões.
Os nossos hinários falam em missões e de um Cristo que deixou de ser o Príncipe da Paz para se tornar um General, Capitão, um Senhor da Guerra. Há um hino escrito por Henry Maxwell Wright (1849-1931), bastante conhecido e cantado dentro de grandes Igrejas históricas, “O Pendão Real”, hino oficial da IPI – Igreja Presbiteriana Independente, que dá cores aos batalhões inimigos:
“Eis formado já os negros batalhões
Do grande usurpador
Revelai-vos hoje bravos campeões,
Nas hostes do Senhor ”.
A idéia da escuridão está presente no hino “Igreja Alerta” e essas próprias nações estão solicitando missionários, conforme o autor A. J. Rodrigues da Silva.
“Queremos luz” é o grito das nações pagãs,
Que vem atravessando o imenso mar,
Ir já, pregar as Boas-Novas de perdão,
Sem esquecer também aqui de semear.
No hino “Marchemos, Sem Temor”, o autor Robert Hawkey Moreton (1844-1917) torna Jesus o Senhor da Guerra:
“Vamos com Jesus, e marchemos sem temor
Vamos ao combate, inflamados de valor;
Eia, pois! Lutemos todos contra o mal;
Em Jesus nós temos grande general”.
A maioria dos protestantes brasileiros se transformou de Embaixador do Reino de Deus para ser soldado de Cristo e guerreiro do Exército do Senhor, sendo assim há necessidade de uma guerra santa dentro do continente africano, através das missões, para dominar religiosamente o que estava dominado politicamente através das armas e da guerra, e essa guerra santa continua através das missões. Há de fazermos algumas reflexões sobre essa visão não realista do continente africano.
Os interesses dos países de manterem a dominação africana continuam de formas mais elaboradas e sabendo nós que essas missões ainda são continuidade dos primeiros missionários americanos e europeus, com suas concepções de desprezo às culturas nativas. Atualmente há uma globalização litúrgica e de conceitos teológicos que nada têm com o evangelho de Nosso Senhor Yeshua, outrossim, conceitos eurocêntricos de branqueamento desses países, além do mais, são retiradas ofertas para manutenção de jovens que se deslocam para o continente africano, e estas ofertas saem do trabalho suado de membros descendentes de africanos, que já somam milhões no Brasil, mas, infelizmente não são membros de maioria preta, porque estão branqueados teologicamente e culturalmente, menosprezando e negando a sua origem africana, porque ser preto na diáspora é entender o seu processo histórico e não se envergonhar do seu passado ancestral e não combater as suas origens, tornando-se instrumentos de tentativas de aniquilamento cultural do nosso próprio povo. Seguir o Evangelho de Yeshua não é combater expressões culturais milenares.
Tenho certeza que as nossas preocupações devem ser voltadas para a realidade nacional, de quase a metade da população brasileira que é Preta, conforme os últimos censos, e as igrejas deveriam se voltar para as questões da comunidade preta, investir recursos na melhoria dos membros pretos de suas igrejas, intervirem como Igreja nos graves problemas sociais nos quais vivemos e somos esquecidos, permitir que jovens pretos freqüentem suas escolas burguesas e o acessem a educação planejada para as elites brancas desse país. Torna-se necessário tirar as vendas dos olhos dos líderes religiosos que vêem a África como símbolo do mal e necessitando urgente de evangelização branqueada. Urge a necessidade de sentar com esses jovens e explicar que a colonização ocorrida no continente africano foi baseada na violência e no extermínio de milhões de pessoas, sendo esse assunto da mais alta relevância ao notarmos exemplos como o antigo Congo Belga, atual República Democrática do Congo, sendo maior que a própria Bélgica. A Grã-Bretanha desejava unir a cidade do Cabo na África do Sul à cidade do Cairo, no Egito. A França dominou todo o Magreb e outras regiões africanas, como a Costa do Marfim e o Senegal, terra dos meus ancestrais maternos. Portugueses católicos são culpados da situação de extrema pobreza de Moçambique, e retiraram tudo que puderam de Angola, da Guiné-Bissau e outras regiões africanas. Houve uma “mata” nas florestas tropicais e subtropicais da África, uma destruição das savanas, um quase aniquilamento da fauna e um violento ataque às culturas desses países, concomitantemente a demonização de culturas ancestrais.
Foi à cristandade com uma idéia deturpada de Cristo- General que devastou o continente africano e enriqueceu os países colonialistas e neocolonialistas, que seqüestraram os seus filhos e filhas para a América.
Hoje, eu vejo a necessidade da igreja combater os graves problemas que sofremos na sociedade brasileira e se voltar para dentro de si mesma e ver que a África está aqui com seus representantes sentados e esquecidos nos templos lotados.
Hoje devemos exigir das Igrejas o respeito à memória e ao continente africano que foi sucatado e sangrado, olhando os seus filhos na diáspora dentro do continente americano. Hoje vejo a necessidade de se criar uma nova discussão teológica dentro dos seminários e das escolas bíblicas dominicais, com uma nova pedagogia baseada em livros e conceitos afrocentrados, de novos livros teológicos que não sejam meras interpretações de realidades alemãs, inglesas e norte-americanas, os quais brilhantes pastores negros repetem conceitos de Rudolf Bultmann, Paul Tillich, Dietrich Bonhoeffer, Louis Berkoff, Oscar Cullmann, Rubem Alves e tantos outros e posam como intelectuais na teologia, e infelizmente nada sabem de sua ancestralidade e nem o nome das bisavós maternas e paternas, e ignoram a história do seu povo como que eles não existissem. Desconhecem a história das primeiras comunidades africanas cristãs que surgiram antes do Cristianismo Romano e ojerizam o conhecimento ancestral da Mãe-África, a sua musicalidade e concepções maravilhosas de Deus que se revelou através de Yeshua, o Cristo. Mas são meros defensores da teologia alemã e seus teólogos, de confissões inglesas, dos conceitos liberais, fundamentalistas ou conservadores nos Estados Unidos, e acabam tendo propostas evangelicais para os negros brasileiros e africanos. Na verdade conseguem ter conceitos caucasianos e defendê-los melhor do que os seus autores.
Que as igrejas também discutam a lei 10.639 e através dessa lei sejam quebrados os preconceitos criados pela sociedade e reforçados pelas igrejas referentes aos africanos e seus descendentes no Brasil
Hoje, vejo como o momento de questionar as missões que se direcionam para salvar os “coitadinhos dos africanos” que vivem na “escuridão” e convocam jovens pretos não conhecedores da sua própria realidade, da sua história e da sua ancestralidade, tornam-se simplesmente portadores de ideologias caucasianas-ocidentais anticulturais e globalizantes, os quais não conhecem os seus próprios problemas como descendentes de africanos, porque não participam dessas questões no Brasil e são enviados para a África, acreditando em uma democracia racial brasileira e branqueados culturalmente e teologicamente, enquanto temos problemas imensos de nossa população e eles não são nem citados por aqueles que querem salvar os africanos e permitem que o nosso povo preto continue discriminado na sociedade e nas igrejas. Tornando-se necessário que os encontros de pretas e pretos se tornem um fator missionário verdadeiro de questionamentos para nossas irmãs e irmãos que ainda estão presos aos conceitos e pensamentos dos teólogos das grandes plantações sulistas americanas.
Hoje, vejo a necessidade de nós pretas e pretos sairmos da invisibilidade e descobrirmos a África abençoada dos nossos ancestrais dentro de nós.


Texto adaptado do livro: AFROREFLEXÕES, autoria de Walter Passos, a ser lançado em breve.
ALGUMAS COMUNIDADES NO ORKUT DE MISSÕES NA ÁFRICA:
RADICAL AFRICA-
FUR, quem se interessa??
TUAREG, Quem se interessa?
FUTA JALON, Quem se interessa?
WOLOF, Quem se interessa?
MANINKA, Quem se interessa?
TUKULOR, Quem se interessa?
SUSU, Quem se interessa?
HAUSA, Quem se interessa?
SONGHAI, Quem se interessa?
FULA KUNDA, Quem se interessa?
SOKOTO, Quem se interessa?
MOUROS, Quem se interessa?
FULANI, Quem se interessa?
SONINKE, Quem se interessa?
SEREER, Quem se interessa?

16 comentários:

INSD Forever disse...

Jesus sem dúvida não se apresentou loiro nórdico. E certamente nos deixou muito mais que sua etnia como o mais importante. Suas palavras vão além de um território, cor da pele.

Anônimo disse...

Eu sou a favor de missões na Europa... quem sabe Jesus tem misericórdia e quebra esses brancos corações duros........
Clama e chora, oh Europa e Cia talvez... talvez haja esperança!

edusilver7 disse...

TODO O MUNDO precisa de missões, não tem nada a ver com raça, escravidão, desvalorização de costumes e etnias, devemos levar sim os ensinamentos de Cristo a TODO MUNDO! principalmente em lugares onde rituais diabólicos e não cristãos se fazem tão presentes! Já se perguntaram pq na áfrica se sofre mais que qualquer lugar no mundo????

Anônimo disse...

JESUS DEIXOU O IDE NÃO IMPORTA A COR OU A RAÇA,ELE NÃO VEIO APENAS PARA UMA NAÇÃO E SIM PARA O MUNDO TODO,O POVO AFRICANO PRECISAM OUVIR SIM O EVANGELHO,DEIXANDO DE SERVIR A TANTOS deuses E SIM CONHECER O VERDADEIRO DEUS QUE MUDA HISTÓRIA E QUE PODE MUDAR A HISTÓRIA DESSE CONTINENTE,SE NÃO PREGARMOS QUEM IRÁ?

Anônimo disse...

o berço do cristianismo foi o asia menor ,
qual dos apostolo foi para africa?

vander disse...

Bom dia.
Amado ao colocarmos uma opinião como a que vc colocou temos primeiramente que observarmos alguns detalhes e conceitos biblicos(Que vc negligenciou).
Jesus disse: " Por tanto ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura..," não vemos separação ou distinção de raça,cor,cidade ou continente.
Voce colocou que a forma de colonizão da Africa foi cruel, gostaria de saber onde esta fato nos impede de pregarmos,amarmos ou até mesmo enviarmos missionários a este País?
Voce chama Jesus de yeshua.
ye:Deus,shua: salvador.
Não há nessecidade de chama-lo desta forma, pois estamos no Brasil, lingua originada do latin, portanto é correto chamar yeshua de Jesus,pelo menos no país onde estamos. (a não ser que vc seja arabe).
Infelizmente no nosso meio tem muitas pessoas como vc, que temtando mostrar o que acha ser certo, acaba se equivocando.
O planeta terra pricisa de Jesus, independente de cor,raça ou credo.
Leia a biblia,aceite Jesus e post comentarios mais inteligentes e sadios tendo respaldos biblicos.
Não fique chateado. Deus abençoe.
vander.barsa@hotmail.com
semeadores.blog.terra.com.br

Anônimo disse...

AMADOS, ESCREVO A TODOS QUE ACESSAREM ESSA PÁGINA
TODOS ERRARAMOS ÁS VEZES NÃO É VERDADE, AFINAL DE CONTAS SOMOS TODOS SERVOS, SÓ HÁ UM ÍNICO ASAENHOR E SALVADOR.
TANTO O AMADO QUE ESCREVEU O ARTIGO QUANTO ALGUNS QUE O LERAM PRECISAM TÃO SOMENTE OLHAR PARA O AUTOR E CONSUMADOR DA NOSSA FÉ.
DEVEMOS AGIR ORANDO PARA QUE AQUELE QUE É A VERDADE NOS ENSINE SOBRE O AMOR.

eduardo disse...

As pessoas erroneamente responsabilizam o cristianismo por injustiças sociais e explorações colonialistas.E confundem a política dos homens com o trabalho de Deus.Enfrentamos uma guerra não de carne e sangue mas contra as potestades e principado deste mundo em que jaz o maligno.E o nosso general é Cristo.

Anônimo disse...

SOU BRANCO E TENHO O MAIOR ORGULHO, NÃO ME CONSIDEREM RACISTA;POIS SERÁ QUE SÓ OS NEGROS É QUE PODEM SE ORGULHAR DE SUA ETNIA?

Anônimo disse...

Meu amigo vai aceitar Jesus como Senhor e Salvador da sua vida,e vai ler a biblia pra vc conhecer o Deus criador do céu e da terra.É preciso que a palavra de Deus seja pregado nos quatro cantos da terra,como eles vão conhecer a palavra Deus se não ha quem pregue.Jesus não disse ouça minha palavra e fica quieto na sua e os outros que se virem.Não, não foi assim não O Senhor Jesus disse ide e pregai o evangelho a toda criatura.

santiago disse...

caro,irmao se assim o posso chamar bem.sou negro como vc mas não com as mesmas ideias conturbadas a respeito do cristianismo pode-se ver q vc não conhece há Jesus, se o conhecesse com certeza mudaria sua opinião.ele é um Deus de amor,benignidade,mas é nosso general sim por q ele luta por nós pelas causas q achamos impossivel, não tem nada haver com guerra fisica.meu amigo aceite Jesus como senhor e salvador da sua vida e vc vai conhecer o mundo espiritual.

sergio minas disse...

Meu amado fico preocupado com tanto desconhecimento de causa;você deveria ler mais, não só a Biblia mas a história do próprio país África .O QUE FICA CLARO PARA NÓS OS CRISTÃOS QUE A SUA FALTA DE AMOR PELO O SEU POVO E UM ABSURDO,SE VOCÊ NÃO TEM AMOR PELOS SEUS,DEIXA O POVO DE DEUS TER; FAZEMOS MISSÕES PARA PROVAR ESTE AMOR, E CUMPRIR O IDE DE JESUS "IDE POR TODO O MUNDO E PREGAI O EVANGELHO A TODA A CRIATURA"JESUS TE AMA. PENSE NISTO, COM CERTEZA ISTO VAI TE TIRAR DESTE PRECONCEITO TÃO GRANDE QUE VOCE VIVE NELE

Anônimo disse...

A paz querido, fiquei horrorizada ao sua postagem, Não lhe julgo, pois falta de conhecimento nos tras a ter uma visão erronia dos atos Cristãos. Amanda Jesus Cristo, não morreu numa cruz apenas pelos judeus, mais ele morreu por mm, por vc, pela Africa, pelo Brazil, pelos E.U.A, ELE MORREU PELO MUNDO (joão 3:16). A forma em que vc tratou se revela preconceituosa aos corações missionários que só teem um unico objetivo de levar aos africanos o amor de Cristo. Caro amigo, não existe missões somente para a africa, existe missões no nordeste brasileiro, na floresta amazonica, na Australia é uma nova geração que cresce com o objetivo do IDE POR TODO O MUNDO E PREGAI O EVANGÉLIO. A amado, nós não somos ninguém para te julgar, mas somos alguem enviados por Cristo para te aconselhar, Se você CRE que CRisto realmente deu a vida dele por vc, Leia a biblia e faça oração se quiser crescer!
Pesquise mais sobre missoes e veja o quão grandioso é este ministério. As missões não só evangelizam, como dão alimentos, roupas, estudos.. é não é simples ser um missionário... Que Deus te abençõe e ilumine o teu coração, abra os seus olhos para ver o que realmente é ser um missionário.
Que a pAZ DE Cristo e a alegria do Senhor Jesus estejam presentes em sua vida.

Anônimo disse...

Pouco há a dizer...que abordagem racista e facciosa! Se não houvessem missões....depois de tantas agonias e injustiças... Se não houvesse a Mão divina na forma de volutariado pela abnegação pessoal, do trabalho para o próximo... muito pior estariam as coisas...!O seu mal, permita-me dizer-lhe é o Sr. estar completamente sem Deus e estar preso a mágoas e orgulhos que já deviam estar saradas e ultrapassados.
Deus o abençoe!

Pequeno Grupo disse...

Eu ia até fazer um comentário pois, por um momento pensei que este blog era inteiramente pessoal, mas percebo que são colocados pontos de vista de terceiros, que se quer sabem que estamos dando "pitaco" sobre suas opniões. Não vale a pena...

valdenor disse...

Queridos: Se voces fizerem uma leitura reflectiva sobre a apelação de Walter passos no BAYAH ele fala de verdades que vivemos em nossas igrejas hoje, pregamos um general figura de um grande lider e autoridade militar que no antigo testamento podemos citar Josué e outros valentes de Daví no exercito de Israel lá na antiga aliança que foram vencedores e infelismente acreditamos que Jesus partilha desta mesma visão de combate apesar de falarmos e pregarmos batalha espiritual, massacramos nosso povo com imposições e ordenanças que Jesus nunca ordenou nem encinou em nome do amor para construção de templos faraonicos e templos pequenos e luxuosos para que "nossa" religião creça, emquanto nos entreteçemos com nossos brinquedinhos aquí no Brasil milhoes de pessoas são espedaçadas pelo mundo afora pelo imperio das trevas, nos esqueçemos que a arma que Jesus usou e nos encinou foi o Amor, lembrem de I aos cor.13, lembrem-se jo.cap.8 e tantos outros textos biblicos que mostram aforça de Jesus "Amor de Deus".
Temos que tirar a capa da religião para fazer missões de verdade, não que estou de pleno acordo com o texto do irmão citado porém há muito do que ele citou dentro de nós, reflitamos!

PRETAS POESIAS

PRETAS POESIAS
Poemas de amor ao povo preto: https://www.facebook.com/PretasPoesias