sexta-feira, 24 de julho de 2009

RACISMO PARA CRIANÇAS

Por Walter Passos, historiador, teólogo e membro da COPATZION (Comunidade Pan-Africanista de Tzion). Pseudônimo: Kefing Foluke. E-mail: walterpassos21@yahoo.com.br
Skype: lindoebano
“O vício do cachimbo deixa a boca torta!”. Ouvia sempre esse ditado da minha mãe e hoje vejo a profundidade dessas palavras no que concerne a formação psicológica, social das crianças. O racismo é introjetado de formas diretas que as crianças pretas não o percebem instantaneamente, mas traz conseqüências futuras perigosas.
Os brinquedos, especialmente as bonecas com características brancas, os gibis e os desenhos animados sempre foram formas utilizadas para manutenção das ideologias racistas, tendo duas facetas: de ensinar a discriminação racial às crianças brancas, notadamente aquelas agraciadas com a beleza, com a riqueza, heroísmo e majestade, e de baixar a auto-estima das crianças pretas, fazendo-as se sentir inferiores e desejarem ser como as caucasianas.


Diversos gibis e desenhos animados trazem em seu bojo mensagens de discriminação racial contra os africanos na África e africanos em diáspora.
O gibi “TINTIN NO CONGO” foi publicado entre 1930 e 1931, sendo o segundo da série das AVENTURAS DE TINTIN, que tinha cunho racista e colonialista, retratando pretos como macacos e imbecis.
Em 1930, o Congo representava um Eldorado para a Bélgica. O Congo é oitenta vezes maior que o país que o colonizava, possuindo um subsolo extremamente rico e com a população nativa e explorada. Por conseguinte, Hergé o autor do gibi devia fazer uma propaganda deste país, com a visão do colonizador belga.
O gibi cria estereótipos sobre os congoleses os colocando inferiores aos animais. Na versão em preto-e-branco, o quadro-negro é um mapa de geografia, e Tintim diz: "Hoje vamos falar de vossa pátria: a Bélgica".
Na versão colorida, Tintim é interrompido por um leopardo enquanto dá uma aula de aritmética. Os africanos possuem pronúncias erradas, enquanto os elefantes falam corretamente.


Quando os meus filhos (as) nasceram tive a preocupação de criar historiam infantis, porque é gostoso conversar com crianças, viajar no mundo da fantasia, é necessário para elas esses momentos do lúdico na formação da personalidade, e sem ser psicólogo acredito que as crianças tem o direito de sonhar. Os sonhos de nossas crianças são mergulhados em discriminação racial através da mídia.
Entre os desenhos animados bem conhecidos estão os do Patinho Feio que nasce preto e é discriminado, quando cresce se torna um lindo cisne branco admirado por sua beleza e grandeza.
Outro desenho que marca gerações é Pernalonga e Patolino, este último sempre leva a pior, um bobo, idiota e nunca consegue êxito, representado pelas penas escuras, comum nos desenhos norte-americanos para indicar indivíduos pretos, exportando esses Toons para o mundo, sendo um dos mais conhecidos e vistos até hoje por crianças brasileiras:


No desenho Pica-Pau, Zeca Urubu é uma figura corrupta, traiçoeira, e vive de trapaças e roubos segue a mesma dinâmica, este por sua vez na tentativa racista de representar os “malandros” norte-americanos da época.


Na chamada evangelização de crianças as igrejas difundem o racismo de uma maneira bem perspicaz que os próprios pretos não notam ou fingem não perceber as armadilhas na proposta das boas novas que afetam o psicológico das crianças pretas. Artigos foram escritos neste blogger convidando a reflexão desses desenhos. Um desses exemplos foi o artigo: DIANTE DO TRONO: AOS OLHOS DO PAI, A CRIANÇA PRETA NÃO ESTÁ NOS SONHOS DE DEUS?


Na concepção da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, conhecida popularmente como Igreja Mórmon, os pretos foram amaldioçados por Deus, confira esse desenho:

Os estúdios da Disney sempre demonstram em desenhos os pretos como feios, inclusive no desenho a Bela e a Fera, o príncipe branco amaldiçoado é um fera de cor marrom:


Tentando agradar a comunidade preta a Disney vai lançar em novembro de 2009 o longa-metragem: A Princesa e o Sapo, anteriormente chamado de A Princesa Sapo.

Há uma boa controvérsia nos USA já que a princesa do filme original chamava-se Medda, nome comum entre as classes baixas, e era empregada doméstica, o que gerou uma mudança no roteiro por indignação da comunidade preta. Essa controvérsia foi postada no site Youtube com a incorporação proibida. Mas você poderá assisti-la clicando no link abaixo:
Disney's The Princess and the Frog – Controversy
E concluindo, um dos desenhos mais racistas da Disney também tem a incorporação desativada é um musical onde as representações das mulheres pretas são humilhantes e ultrajantes, Vale à pena conferir, clique: Fantasia - The Pastoral Symphony – UNCUT
Abaixo está um vídeo que demonstra como as crianças pretas introjetaram dentro de si o racismo:

5 comentários:

Sabrina disse...

Eu nunca tinha percebido a conotação de racismo em desenhos animados, mas fiquei aqui pensando, e os personagens como o Mickey? é um símbolo da disney e é preto?

Anderson "Thug" disse...

olha quando criança eu nunk tinha reparado nisto...depois com a mente "empretecida" eu ja via reparado bastante nisto..

Jhosemberg disse...

O Mais chocante foi o falar das Crianças Negras. è assim que nós somos educados nesta socieade perversa. colnização do imp´rio das trevas precisa ser destronado! Isso não é só uma questão Racial e sim muito mais Epsiritual.

farao disse...

O grande próblema disso tudoq é que quando a criança e uma menina o esteriótipo e ainda pior , já vimos nesse blog , mulheres negras que desejavam ,uma criança de cabelo lisos ....... por aqui onde moro ,eu vejo isso quase sempre crianças negras brigando uma com a outra ,um chamando o outro de macaco ,o outro de cabelo duro , e por ai vai a palhaçada , e as cranças mestiças , já cansei de ver filho mestiço chamando a mã de macaca , mas a onde eles aprendem isso ,obvio na escola ,ou dentro da própria casa onde vivem , um dos motivos e que como são mais claros , eles acham que são quase branquinhos ..... e assim se acham melhores , que os originais . ou talvez por não terem um identidade definida , se tornam carrasco de sí mesmo mas irmãos a clase mais pobre e a que menos lê , e a que mais assinte a teve Globo , e É justamente a emissora que vende cultura burra é que os negros compram, vejo que a maioria compra a ideias de romance -e cultura desta emissora , mas acho que enguanto não houver uma revolução na Educação as coisas continuarão , como estão !

Anônimo disse...

Pera aí, compadre! Tem o patolino nervosinho que se dá mal, mas tem o pato donald e este se dá mal também.
Zeca urubu representa malandros de todas as cores (imcluindo o banco nazista\racista).

Quando o Jerry ficou branco foi para parecer um morto-vivo (ou fantasma, não para achar melhor ser branco.

PRETAS POESIAS

PRETAS POESIAS
Poemas de amor ao povo preto: https://www.facebook.com/PretasPoesias