quinta-feira, 9 de julho de 2009

AIDS – ACASO OU CONSPIRAÇÃO ANTI-PRETO

Por Aidan Foluke, Membro da COPATZION, Tesoureira do CNNC e Acadêmica de Enfermagem.
Skype: aidanfoluke
O Vírus da imunodeficiência humana (HIV) é o organismo causador da doença chamada AIDS (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida) que na sua forma progressiva ataca o sistema imunológico com o aparecimento de infecções oportunistas que vão desde a tosse ao coma, entre elas destacamos: Tuberculose, Pneumocistose (Pneumocystis carinii), Infecções fúngicas recorrentes na pele, boca e garganta, Diarréia crônica por Isóspora ou criptosporidium, Diarréia crônica com perda de peso, Neurotoxoplasmose, Neurocriptococose, Citomegalovirose. A AIDS também torna as pessoas particularmente suscetíveis ao desenvolvimento de diversos tipos de câncer, especialmente os causados por vírus, como o câncer de colo de útero e o sarcoma de Kaposi.

Nas crianças com AIDS, as infecções oportunistas surgem como formas severas de infecções bacterianas comuns a toda criança como: conjuntivite, infecções de ouvido e amigdalite.
As entidades cientificas de saúde, cientistas, líderes de países, organizações políticas e militantes pretos manifestam-se emitindo opiniões diversas sobre as possíveis causas e conseqüências dessa pandemia que tem afetado a humanidade,

ceifando vidas e condenando a morte milhões de pessoas e a maioria preta no planeta, especialmente de países africanos e africanos em diáspora.

Entre os diversos pontos de vistas há os que defendem a questão da AIDS como um vírus desenvolvido por fatores do “acaso” e outros que acusam abertamente a criação de um vírus geneticamente modificado para a destruição dos indesejáveis: homossexuais, prostitutas, viciados em drogas e a população preta mundial. Irei expor estes pontos de vistas cabendo ao leitor e a leitora decidir o que melhor lhe aprouver.

HISTÓRICO DA AIDS SOBRE A CONCEPÇÃO DO ACASO:
Na literatura da medicina a AIDS ainda tem uma origem polêmica e os primeiros diagnósticos aconteceram nos USA nos inícios dos anos 80 do século passado. Alguns casos foram diagnosticados em homens homossexuais em Nova York e na Califórnia que desenvolveram infecções oportunistas e cancros raros resistentes a tratamentos conhecidos. Neste período ainda não se usava o nome AIDS, entretanto, as pessoas afetadas sofriam de uma síndrome desconhecida.
A descoberta do vírus HIV ocorreu posteriormente e é reconhecido como causador da AIDS, havendo ainda hoje questionamentos entre cientistas. Foram feitas pesquisas da origem do HIV e como se manifestou nos seres humanos e descobriram em laboratórios americanos e franceses que o HIV é um lentivirus (vírus lentos), porque demora a produzir efeitos no organismo. São encontrados em animais como ovinos, eqüinos, bovinos e felinos (gato). No caso da AIDS os cientistas europeus e americanos constataram que o lentivirus é proveniente do SIV (Vírus da Imunodeficiência dos Símios) que afeta os macacos e em humanos se manifesta como HIV-1 e HIV-2.
O HIV-2 corresponde ao SIVsm encontrado nos White-crowned ou White-collared Mangabey, que habita nas florestas do Senegal e no Leste de Gana.



O HIV-1 corresponde ao SIVcpz encontrado em chimpanzés comuns no centro da África, afirmação defendida por Paul Sharp da Nottingham University e Beatrice Hahn da University of Alabama.
Os cientistas que defendem a transmissão dos macacos para humanos alegam que houve zoonose no momento em que caçadores africanos se alimentaram de chimpanzés ou o sangue do animal entrou em contato com feridas do caçador. Alegam também que a contaminação ocorreu através do uso de seringas não descartáveis que pode ter sido usadas em algum caçador e transmitido o vírus para a população.
Recentemente Jim Moore, especialista em primatas defende a “Teoria do Colonialismo” ou “Coração das Trevas”, afirmando que no final no século XIX e início do século XX, a exploração colonial francesa na África Equatorial e a exploração colonial belga no Congo belga, forçaram trabalhadores africanos a trabalhos exaustivos, a fome, falta de saneamento básico, foram obrigados a se alimentar de macacos e vacinados contra a varíola para serem mantidos vivos, e também prostitutas foram usadas o que serviu de aumento da doença. As provas foram apagadas porque os colonizadores destruíram os laudos médicos.
E ainda houve informações de relações bestiais entre africanos e macacos, que infelizmente muitas pessoas acreditam.


HISTÓRICO DA AIDS SOBRE A CONCEPÇÃO DA CONSPIRAÇÃO:
Na história da medicina sabemos de relatos de infecções propagadas no período da escravidão e pós-abolição. Relembremos da sífilis no Brasil colônia, quando homens brancos estupraram meninas pretas virgens procurando a cura da doença.
Nos USA uma comunidade inteira foi infectada com sífilis em 1932 servindo como cobaias para estudos, que determinavam "a partir de autópsias as patologias advindas do corpo humano." Quase 400 homens pretos pobres com sífilis a partir de Condado de Macon, Alabama, foram usados para o experimento. Os alemães invadiram a Namíbia e além do crime do genocídio realizaram experiências genéticas no povo preto.
http://cnncba.blogspot.com/2009/01/o-genocdio-esquecido-revolta-dos.html
Povos no planeta foram vítimas de invasores europeus que transmitiram doenças desconhecidos. Então, por este “histórico doentio” torna-se compreensível que exista um importante grupo de líderes e cientistas que acreditam e defendam a hipótese da conspiração do AIDS.
A controvérsia do surgimento da AIDS ocorre da não aceitação de que o vírus veio proveniente do macaco, sendo considerada por eminentes cientistas uma grande farsa difundida com propósito de esconder a sua verdadeira intenção. Vamos conhecer essas idéias:
Os primeiros artigos sobre a conspiração da AIDS ocorreram com a Sociedade Real de Londres que realizou uma série de conferências procurando descobrir a causa inicial da AIDS e a origem do HIV. Respeitados cientistas e acadêmicos debateram a possibilidade de que o HIV-1, o mais amplo e mortal vírus da AIDS em humanos evoluiu de contaminações acidentais de vacina e posterior transmissão para a maioria de aldeões africanos.


Segundo o site New World Order, o HIV / AIDS na África foi inicialmente espalhados por hospitais missionários católicos romanos e os seus re-uso de "agulhas sujas". Estes hospitais regularmente obtêm doações de material médico / vacinas diretamente a partir da Igreja Católica Romana com os Cavaleiros de Malta, através dos seus membros no seio da indústria farmacêutica. Desde a década de 1970 Cavaleiros de Malta apóiam e ajudam organizações como AmeriCares Knightsbridge Internacional que têm fornecido suprimentos médicos a países necessitados, incluindo África do Sul, Haiti e Camboja - países que agora são mais atingidas pelo HIV / AIDS.
http://www.geocities.com/newworldorder_themovie/aids.html
Houve uma vacinação em massa para imunização da poliomielite que contaminou milhares de pessoas no continente africano.

O criador da vacina foi o judeu askenazi Hilary Koprowski, que em 1957 na África Central a sua vacina foi cultivada em células de macaco. Alguns especulam que a AIDS nesta região fora desenvolvida a partir do vírus da imunodeficiência símio. Koprowski nega qualquer ligação com o HIV. O Jornalista britânico Edward Hooper divulgou uma hipótese de que a AIDS foi criada inadvertidamente no final dos anos de 1950, no Congo Belga por Koprowski quando investigava uma vacina contra poliomielite.

A Dra. Wangari Muta Maathai, queniana, mestre em Biologia e doutora em Anatomia, ativista feminista e defensora do meio ambiente, ganhou o Prêmio Nobel da Paz em 2004 por sua contribuição para o desenvolvimento sustentável, da democracia e da paz. Ela se tornou a primeira mulher africana, e primeiro ambientalista a ganhar o prêmio.
Em uma entrevista para a revista "Time" acerca do Prêmio Nobel da Paz alegaram que ela disse que "a AIDS é uma arma biológica fabricada pelo mundo desenvolvido para acabar com a raça negra". Maathai posteriormente, em uma declaração escrita, emitida em Dezembro de 2004: "Eu não diria nem acreditam que o vírus foi desenvolvido por pessoas brancas ou poder branco a fim de destruir os povos africanos. Tais opiniões são perversas e destrutivas."

O Cientista askenazi Jakob Segal de origem lituana, afirma que a AIDS foi criada em laboratório, no Fort Detrick (Centro de investigação de Guerra Biológica) a partir de Visna e HTLV-I.
Afirmou que o novo vírus foi testado em condenados que se voluntariaram para o experimento em troca de sua libertação da prisão. Sem mostrar sinais precoces da doença, os prisioneiros foram libertados depois de seis meses. Alguns eram homossexuais, e estava em Nova York, onde a doença foi inicialmente detectada em 1979.
Os investigadores não tinham contado sobre a criação de uma doença com períodos muito longos de encubação. (Um ano é relativamente curto para a AIDS, mas não seria incomum se a infecção foi induzida por injeções de doses elevadas.) Se os investigadores tiveram suas cobaias humanas em observação por um longo tempo, eles descobriram a doença e poderia ter sido conteúdo.
Em outras palavras, Segal disse que a AIDS é o resultado de pesquisas e experiências em armas biológicas.
Dr. Alan Cantewwll Jr., é um aposentado dermatologista, e investigador na área do cancro e microbiologia da AIDS. Ele é autor de cerca de 30 artigos publicados entre o final dos anos 1960 e meados de 1980, predominantemente em sarcoma de Kaposi e outras neoplasias dermatológicas relacionadas com a infecção do HIV.
Mais recentemente, ele tem escrito artigos especulativos sobre a origem do HIV, sugerindo que pode ter sido liberada uma guerra biológica do vírus e / ou deliberadamente colocados em uma Hepatite B vacina usada visam americano homossexuais e negros.


Seus livros são publicados pela Aries Rising, sua própria editora, que começou em 1984, para divulgar suas idéias. Ele também foi publicado em Nova Aurora ', uma revista australiana dedicada a "apresentar notícias e informações ignoradas ou deliberadamente suprimida pela mídia", Orgânica, paranóia, Steamshovel Imprensa e os Novos Africanos.
O Rev. Jeremiah Wright pregou sermões em que culpou o governo americano de criar um estado racista e inventar o vírus do HIV como uma forma de genocídio contra o povo de cor. Este foi um dos fatores do afastamento de Barack Obama de seu antigo pastor e mentor.
Tshabalala-Msimang foi graduada pela Fort Hare University em 1961. Como um número de jovens de um Congresso Nacional Africano CADRES enviado ao exílio para a educação, ela recebeu a formação médica na Primeira Leningrado Instituto Médico na União Soviética de 1962 a 1969. Ela foi então treinada em obstetrícia e ginecologia na Tanzânia, finalizando em 1972. Em 1980 ela recebeu um mestrado em saúde pública da Universidade de Antuérpia na Bélgica.
Ministra da Saúde da África do Sul de 1999 a 2008 no governo do presidente Mvuyelwa Thabo Mbeki, é uma eminente defensora da medicina tradicional africana e relutou em aplicar os medicamentos anti-retrovirais para o tratamento da AIDS, sugerindo o uso da medicina tradicional africana, como o uso do limão, beterraba, alho, batatas africanas e uma dieta alimentar equilibrada, recebendo o apoio do presidente, sendo duramente criticada pelo mundo ocidental.



A pandemia da AIDS tem afetado duramente a população preta no planeta e é uma doença que ainda não tem cura. Na Bahia os dados de 2007 do DATASUS atestam que 114 pessoas pretas foram diagnosticadas como novos casos. Os números reais não são conhecidos por motivos de medo, preconceito, falta de informação e descaso com a saúde da população em geral. É necessário que os profissionais que cuidam da saúde da população preta fiquem mais atentos a disseminação da doença que está levando o nosso povo a um processo de destruição.


Vote na enquete e manifeste a sua opinião: A AIDS foi uma fatalidade ou uma conspiração anti-preto?

5 comentários:

kassan disse...

Saudações irmãos do CNNC/BA

Eu gostaria de expressar o meu
apoio integral as afirmações feitas
pelo texto que considero de fundamental importância.E necessário esclarecer a verdadeira origem deste vírus que esta a promover o aniquilamento em massa no continente Africano. Eu parabenizo o CNNC/BA por publicar
este texto e dar visibilidade a esse tema que os grandes meios de comunicação insistem em tratar como uma teoria conspiratória a AIDS ou a SIDA como e popularmente conheçida na Africa é com toda a certeza é uma arma biológica desenvolvida e disserminada pelos brancos para promover a destruição da população Africana.

Uillis disse...

Oi Vanessa gostei muito do assunto abordado neste artigo, eu acredito que o surgimento e a proliferação do vírus da AIDS, não foram uma obra do caso, de fato, houve sim, uma conspiração do homem branco para que este vírus letal fosse inserido nos países africanos, provocando a morte de milhões de homens, mulheres e crianças pretas.
Precisamos nos posicionar de forma mais crítica com relação às notícias que são vinculadas nos meios midiáticos, tanto nacional como internacional, são de informações como esta que os nossos irmãos pretos necessitam, para desmascarar as mentiras que foram contadas até hoje e contribuíram para manter o nosso povo na ignorância.

helio dos santos disse...

é uma peste do seculo , sendo é o que esta escrito" Porquanto se levantara nação contra nação , e reino contra reino, e haverá fomes , e pestes , e terremotos , em vários lugares" mateus 24:07.]A 'aids' é uma destas pestes não só na Africa mais em todo o mundo.
são pessoas que precisão do nosso Amor e carinho e ajuda ; Uma conspiração do inferno , mal chamado precoceito racial.--{helio.cassumba}.

Missionaria Angela disse...

Missionaria, Pra. Angela do Projeto Social em Missões-EDUQVIDA.
Parabenizo e me orgulho da qualidade dos trabalhos de pesquisa da CNNC/BA. Que Deus continue vos iluminando e protegendo.
Acredito também que AIDS é mais uma das armadilhas de satanás contra a criatura de Deus. O povo negro tem sido vítima desta terrível conspiração através do vírus HIV.

Carlos Augusto Pinheiro Da Silva disse...

Se foi anti preto eu não sei ,mas se foi o tiro saiu pela culatra quanto ao epicentro estar na africa um virus aparentado com HIV foi encontrado em primatas então ponham a culpa nos macacos de acordo com o texto poderia ser uma conspiração anti gay também e não só o povo negro tem sido vitima da AIDS a AIDS e uma pandemia que não poupa cor credo,condição sócio econômica ou orientação sexual

PRETAS POESIAS

PRETAS POESIAS
Poemas de amor ao povo preto: https://www.facebook.com/PretasPoesias