sexta-feira, 1 de maio de 2009

OS AKANS - ONYAMEE KWAAME, O DEUS DO SÁBADO.

Por Walter Passos, historiador, teólogo e membro da COPATZION (Comunidade Pan-Africanista de Tzion). Pseudônimo: Kefing Foluke. E-mail: walterpassos21@yahoo.com.br

Nsem nyina ne Onyame ( "todas as coisas / assuntos dizem respeito a Deus") - Provérbio Akan


Nunca ouvi de professores de História da África, especialmente os que ensinam sobre a África Ocidental, comentários acerca da guarda ao sábado. Quando falamos do sábado as pessoas lembram os adventistas e seguidores do judaísmo, havendo um desconhecimento da universalidade do sábado a partir do continente africano: A Terra Sagrada escolhida por Yah para a criação da humanidade.
A ciência comprova que a África é o berço da formação humana, e nos escritos hebreus, os primeiros seres humanos surgiram nas terras de Cush, conforme Gênesis 2:10-14, obviamente, a instituição do sábado ocorreu no Jardim do Éden, conjuntamente com primeiros conhecimentos dos estatutos e das leis de sabedoria aos primeiros seres humanos: os pretos.
“Abençoou YHWH o sétimo dia, e o santificou; porque nele descansou de toda a sua obra que criara e fizera.“ - Gênesis 2:3
Uma das derivações para a raiz da palavra hebraica para sábado שבת "Shabbath" é a do número sete "Shaba" ou "Sabá". A outra raiz para palavra "Shabbath" é a palavra descanso "Shabat". As raízes das palavras juntamente com o "Shabat" nos dão o significado para a Palavra hebraica Sabbath, "Shabbath", que é observado a partir do pôr-do-sol da sexta-feira até o pôr-do-sol do sábado. Conforme o historiador Leo Africanus, a rainha Makeda de Sabá, era a Rainha do Sábado.
O sábado foi o dia sagrado dos nossos ancestrais da África Ocidental bem antes dos chamados judeus e adventistas adotarem-no como dia ordenado por Yah. Pra você é novidade? Leia todo o texto.
Com a invasão da África pelos países europeus, impuseram o cristianismo e a escravidão através da Igreja Romana, da Igreja Bizantina e das Igrejas Protestantes violando filosofias e tradições e se apropriando das riquezas do solo africano, e do seu maior bem, os seres humanos. Para dominar um povo é necessário inferir nas suas tradições e fazê-lo esquecer dos ensinamentos ancestrais, a escravidão apagou referências importantes dos africanos os quais adotaram crenças do escravizador como verdadeiras. Apesar da abolição da escravidão na Afro - América e da libertação dos povos africanos ainda falta à liberdade da escravidão mental, a qual tornou muitos africanos e afro-diásporicos defensores dos ensinamentos dos seus algozes, mas milhões de homens, mulheres e crianças continuam na tenaz resistência da manutenção dos valores ancestrais.
O domingo como dia santificado provem da civilização branca ocidental que modificou as práticas da Igreja Primitiva e introduziu formas estranhas de adoração.
Abaixo está uma moeda do século 3 d.C que no verso retrata o deus pagão domingo com uma carruagem puxado por quatro cavalos. Na inscrição está escrito SOLI INVICTO (O Invencível DOMINGO)

"Também tirou os cavalos que os reis de Judá tinham dedicado ao sol, à entrada da casa de IHWH, perto da câmara de Natã-Meleque, o camareiro, que estava no recinto; e os carros do sol queimou a fogo." II Reis 23:11.
Ambrósio, o célebre bispo de Milão, disse que quando estava em Milão guardava sábado, mas, quando em Roma guardava o domingo. Isto deu origem ao provérbio: Quando estiver em Roma, faça como Roma faz. "

POVO AKANS
Em Gênesis 36: 27: "Estes são os filhos de Eser: Bilã, Zaavã e Akan"
Deuteronômio 10: 6: "E partiram os filhos de Israel de Beerote-Bene-Jaakan a Moserá; ali faleceu Arão, e ali foi sepultado, e Eleazar, seu filho, administrou o sacerdócio em seu lugar."
I Crônicas 1:42 - "Os filhos de Eser eram: Bilã, Zaavã e Jaakan; os filhos de Disã eram: Uz e Arã."
Os Akans estão em Gana e em Costa do Marfim. O povo Akan de Gana é composto por diversos grupos: Asante, Fante, Akyem, Kwawu, Akuapem, Akwamu, Bono, Dankyira, Ahanta, Nzemaa, Aowin e Wassa.
Possuem um grande tesouro que é o patrimônio em Onyamee Kwaame, o Deus do sábado herdado dos seus ancestrais hebreus os quais escreveram nas Sagradas Escrituras:
"Lembra-te do dia do sábado, para o santificar.
Seis dias trabalharás, e farás toda a tua obra. Seis dias trabalharás e farás toda a tua obra.
Mas o sétimo dia é o sábado de YHWH teu Deus; não farás nenhuma obra, nem tu, nem teu filho, nem tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o teu estrangeiro, que está dentro das tuas portas. Mas o sétimo dia é o sábado de YHWH, teu Deus; não farás nenhum trabalho, nem tu, nem o teu filho, nem a tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o forasteiro das tuas portas para dentro;
Porque em seis dias fez YHWH os céus e a terra, o mar e tudo que neles há, e ao sétimo dia descansou; portanto abençoou YHWH o dia do sábado, e o santificou."
Para o entendimento da guarda do sábado é necessário conhecermos o povo akan que é considerado um grupo lingüístico na África Ocidental. O akan pode traçar a sua história na África Ocidental, de há cerca de novecentos e trinta e três anos, até 1076, antes a sua história torna-se sombria. Há algumas teorias sobre o surgimento deles na região, entre elas é que são oriundos de uma civilização acadiana originária no Médio Oriente. Akan se acredita ser da raiz de Akkane ou Akkana.
Outra teoria é que os antigos Hebreus (Heber) são originários da pequena colônia de Belus Cush, pessoas que viveram no Alto rio Tigre, atual Iraque (parte superior do Vale do Tigre, em tempos remotos, a Mesopotâmia, originalmente chamada de Terra dos Etíopes, antes de ser renomeada pelos gregos), teve origem a partir de Abraão, a tribo de Kwahu (Akans), onde a primeira língua hebraica (Heber) nasceu. Tera foi pai de três filhos: Abraão, Nahor e Haran, sendo que Abraão veio do leste para Khemet (Egito antigo). A tribo de Kwahu originou os Akans, povo que existe ainda hoje na África ocidental.
Relatam-se também de outro grupo akan os akuapens que vivem no sul de Gana e sudoeste da Costa do Marfim como descendentes dos primeiros faraós de Khemet (Egito) da dinastia do faraó akuffu e seus filhos Okyere Afre e Dade Afre. Os akans foram os mais dominantes antigos habitantes de Khemet que inventou o conceito de religião e os deuses. O grande deus e a deusa, OSORO (Osíris) e ISIS (ASAASE) foram criações do akan e eles criaram outros deuses menores como os deuses e deusas dos dias da semana para servir o grande OSORO e ASAASE.
Os estudos demonstram que as raízes dos akans são de hebreus e entre elas uma das mais convincentes são as migrações anteriores ao período do cativeiro babilônico.

Músicos hebreus cativos na babilônia

O falecido presidente Kwame Nkrumah de Gana, um dos mais proeminentes pan-africanistas afirmava que a origem dos Akan era do Egito e muito natural essa afirmação porque com a saída de Moisés multidão de povos o seguiu.

Um dos povos mais conhecidos da África Ocidental são os Ashantis "A maior parte das classes governantes dos Ashanti são descendentes da Etiópia Oriental. O povo Ashanti tem um grande respeito pelo sábado e não guerreavam neste dia sagrado. Mantêm inúmeras tradições dos hebreus, assunto em breve que será postado nesse blogger.
Os akans são detentores de uma das mais belas culturas africanas conhecidos pela sua bela arquitetura, cosmologia, trabalharam a mineração de ouro, ferro, cobre, latão, a fundição do ferro proporcionou ferramentas agrícolas e armas, além de dominarem a matemática e outras ciências. O símbolo mais conhecidos dos akan é a adrinka.


Pesos em ouro -A matemática dos akans que na sua contagem chega aos milhões.


O simbolismo da Adinkra é uma representação visual do pensamento social relacionados com a história, filosofia e crenças religiosas dos povos Akan de Gana e Costa de Marfim.

ALGUNS SIMBOLOS ADRINKA REFERENTES À ONYAMEE KWAAME, O DEUS DO SÁBADO
Representam Deus de uma forma muito peculiar, com um dos tratados teológicos mais belos e profundos, encontramos semelhanças nas escrituras sagradas dos hebreus.
O povo akan acredita que o universo foi criado por um Ser Supremo, a quem se referem a como O b o ade e (Criador), Nyame (Deus), O domankoma (Infinito, Inventor), Ananse Kokuroko (O Grande construtor).
O pensamento religioso Akan é totalmente teocêntrico. Deus é o Ser Supremo e está no centro de tudo. Nesta perspectiva, utilizam símbolos culturais que retratam as suas crenças acerca de Deus, suas atitudes para com Deus e de Sua criação.
A criatividade humana afeta o universo positiva ou negativamente. Em essência, acreditam que o universo é uma criação natural e social. Para os akans é necessário salvaguardar o ambiente do universo de um continuum de membros da sociedade constituída dos mortos, dos vivos, e ainda os que irão nascer.
Acreditam que o Ser Supremo criou a vida e a morte. No entanto, o Ser Supremo, criou o antídoto para o veneno de morte, e foi capaz de superar a morte. Este Ser Supremo, Nyame ou Nyankopon, tem a vida eterna.
O Ser Supremo está em forma espiritual, é indestrutível e coloca parte dessa espiritualidade em seres humanos, como a alma humana (kra). Essa alma do ser humano não morre.

SÍMBOLO DA ONIPOTÊNCIA E DA ONIPRESENÇA DE DEUS
A partir do aforismo Akan: Abode santann yi firi Tete; Obi NTE ase um onim ne ahyease, na Obi ntena ase Nkosi ne awie, Gye NYAME.
Tradução literal: Seu grande panorama da criação remonta a tempos imemoriais, não uma vida que viu o seu começo e ninguém viverá para ver o seu fim, EXCETO DEUS.
O símbolo que reflete a crença de akan em um Ser Supremo, o Criador que se referem por vários nomes - por exemplo, O B O ADE E, NYAME, ONYANKOP O N TWEREAMPON.

SÍMBOLO DA PRESENÇA DE DEUS, DEUS PROTECÇÃO, LUGAR SAGRADO, E ESPIRITUALIDADE

O símbolo que representa a presença de Deus em toda parte. Os akans utilizam-o para o altar de Deus em frente da casa de Deus como um sinal da presença e proteção.


Com a chegada dos europeus na costa de Gana, em 1471, através dos missionários católicos romanos foi introduzido um deus estranho e desconhecido que tem como dia santificado o domingo, atingindo profundamente o conhecimento ancestral dos akan a respeito do dia sagrado, profanando a ancestralidade teológica do Deus do Sábado.
Com a escravização dos povos da África Ocidental os cristãos europeus adoradores do Deus Sol, começaram a batizar os africanos em um dia de domingo, tornando esse dia como o sinal da escravidão.
"E YHWH te fará voltar ao Egito em navios, pelo caminho de que te disse: Nunca mais o verás. Ali vos poreis a venda como escravos e escravas aos vossos inimigos, mas não haverá quem vos compre." - Deuteronômio 28:68
O sábado é um sinal de liberdade entre Yah e o seu povo conforme está escrito:
"Eu sou o YHWH vosso Deus; andai nos meus estatutos, e guardai os meus juízos, e executai-os.
E santificai os meus sábados, e servirão de sinal entre mim e vós, para que saibais que eu sou o YHWH vosso Deus."
Ezequiel: 20-19-20.

A IGREJA ORTODOXA ETÍOPE GUARDA O SÁBADO
A Etiópia é uma nação abençoada e sempre zelou pela guarda do sábado, nos escritos sagrados essa nação tem uma importância grandiosa. Toda a África é um exemplo de fé para todo o planeta.
Apesar de estar desviada de algumas leis de Yah a Igreja Etíope uma das mais antigas do mundo ainda guarda o sábado, pois na época ficou livre da corrupção da Igreja Romana que mudou o dia santificado do sábado para o domingo.

NA JAMAICA RASTAFARIS GUARDAM O SÁBADO
A maioria da população jamaicana é descendente dos akans e os principais grupos rastafáris guardam o sábado seguindo a tradição dos seus ancestrais africanos, não permitindo a inferência de novas tradições de pessoas sem origem africana nas comunidades originais. Os não africanos quando entram nas comunidades originais influenciam para o erro e tentam ocidentalizar o pensamento africano.

Lord of the Sabbath, hear our vows
On this Your day, in this Thy house
And own, as grateful sacrifice,
The songs which from Your temple rise.
Now met to pray and bless Your Name,
Whose mercies flow each day the same;
Whose kind compassions never cease,
We seek instruction, pardon, peace.
Thine earthly Sabbaths, Lord, we love,
But there’s a nobler rest above;
To that our laboring souls aspire
With ardent hope and strong desire.
No more fatigue, no more distress
nor sin, nor hell, shall reach the place
No groans to mingle with our songs
which warble from immortal tongues.
No rude alarms of raging foes;
No cares to break the long repose;
No midnight shade, no cloude sun,
But sacred, high, eternal noon.
O long expected day, begin,
Dawn on these realms of woe and sin!
fain would we leave this weary road,
And live in love to rest with God.

A Igreja Metodista de Labadi Emmanuel em Acra, capital de Gana, aproveitou os símbolos Adrinka para declarar que o filho de Yah se ofereceu como sacrifício para salvar a família.



Kwame Nkrumah Memorial Park fountains, Accra, Ghana.

Reparem que no memorial Kwame Nkrumah as estatuas estão representadas tocando o שופר (shofar) instrumento sagrado dos verdadeiros hebreus (pretos) e tocado em dias especiais na história de Israel, traduzido em português por trombetas, na Bíblia.
"Ao terceiro dia, ao amanhecer, houve trovões, relâmpagos, e uma nuvem espessa sobre o monte; e ouviu-se um sonido do shofar mui forte, de maneira que todo o povo que estava no arraial estremeceu." - Êxodo 19:16.

Os akans souberam muito bem diferenciar o domingo sagrado dos europeus e os chamaram Akwasi Bronii e ainda hoje uma grande parcela da população guarda o sábado.
O sábado é um sinal entre Yah e o seu povo, e os nossos ancestrais em terras africanas sabiam muito bem o dia sagrado para ser observado. A escravidão fez com que nos esquecêssemos do nosso passado, das tradições e dos sagrados mandamentos que Yah nos ordenou.
De acordo com estimativas confiáveis, a África tem a maior concentração de pessoas com essa guarda, com mais 300 milhões de cristãos, cerca de três milhões são adventistas do Sétimo Dia. O importante é que mais de 17 milhões de africanos não seguidores do cristianismo guardam o sábado, entre eles hebreus e diversos grupos étnicos. O sábado é natural para os pretos africanos. Yah sempre esteve presente na África, o seu continente amado!
Em diversos países da Afro - América a nação dos hebreu-israelitas tem se organizado cumprindo a vontade de Yah e irmãos e irmãs guardam o sábado. É necessário que você irmã e irmão se informe mais sobre a sua verdadeira nação.
Guardar o dia de sábado é voltar as nossas raízes africanas e cumprir à o mandamento de Yah, o Deus do sábado dos nossos ancestrais.

"Não despreze a cultura herdada dos seus antepassados." - Provérbio Akan
"Venham embaixadores do Mizraim (Egito); estenda a Etiópia ansiosamente as mãos para Yah." - Salmos 68:31

5 comentários:

HEBREU- ISRAELITA A história do Povo disse...

Louvado seja Yah,
Nao é a toa que os "descobridores" das Americas/A meri KANS = AKANS deram esse nome ao continente que os verdadeiros filhos de Yah estavam sendo transportados, pois sabiam que a maioria dos escravos que estavam sendo transportados para esta parte do continente faziam parte dos AKANS

Anônimo disse...

A cada dia que esse blog descubro a verdade o Kefing deveria ministrar cursos porque o conhecimento dele é profundo escreve coisas que não sabemos.

farao disse...

Perfeito !!!!!

Demilson disse...

EUCOMECEI A GUARDA SABADO NO ADVENTISMO DO SÈTIMO HOJE N~MAS ESTOU LA AINDA Ñ SENTIR DA PARTE DE YAH QUE ESTOU NO LUGAR CERTO! EU MORO EM BANGÙ RIO DE JANEIRO AONDE POSSO ENCONTRAR UM LUGAR DE VOCÊS PRA EU MI REUNIR? ACEI O CONTEUDO MUITO RICO EM DETALE & MIM INTERESSEI,PELO TEMA.

Anônimo disse...

Estou nas nuvens,não tenho palavras para exprerssar o que estou sentindo,necessito urgentemente saber onde encontrar o povo que tem este conhecimento ,para que eu possa vivencia-la e ensinar, embora já tenha iniciado esta missão,onde encontrá-los aqui no Rio de Janeiro,Shalom!

PRETAS POESIAS

PRETAS POESIAS
Poemas de amor ao povo preto: https://www.facebook.com/PretasPoesias