sexta-feira, 15 de maio de 2009

BUDA NEGRO

Por Walter Passos, historiador, teólogo e membro da COPATZION (Comunidade Pan-Africanista de Tzion). Pseudônimo: Kefing Foluke. E-mail: walterpassos21@yahoo.com.br
Skype: lindoebano


Sempre reitero de que os estudos da afrocentricidade são primordiais para o entendimento da diáspora afro global que é desconhecida da maioria da população dentro e fora do continente africano. Os ensinamentos e discussões sobre a história do nosso povo são tendenciosos objetivando negar legados importantíssimos. Muitos afrocentrados trabalham isoladamente por não concordarem com a história eurocentrada e reducionista ensinada pelos doutores da história que formam meros repetidores da concepção européia sobre as civilizações originais, e nesta caminhada muitos africanos e afro-diásporicos das mais renomadas escolas se tornaram defensores.
Um dos graves desconhecimentos é sobre a história preta da Ásia oriunda das migrações de africanos que povoaram o planeta, e não conhecer essas migrações torna-se difícil comentar sobre o Budismo.

Fotos de Mulheres de Orissa no nordeste da Índia. Observe o vestido, brincos e o olhar como mulheres africanas etíopes.
Discordo como professores de história da África tentam “exformar” os estudantes com suas experiências educativas não baseadas na afrocentricidade, veiculando informações do seu próprio ego e suas crises de africanidade misturadas com a vaidade, os considero detentores do conhecimento “afro-eurocentrado”. A informação é um crescimento interior e dependendo da “exformação” o interior do estudante ficará também deformado.
O budismo é a quarta religião mundial sendo superada pelo cristianismo, islamismo e Hinduísmo, pressupõe que há 365 milhões de praticantes budistas no planeta seguindo linhas diferentes de teologia e prática. É interessante ressaltar da negação de budistas da qualificação de religiosos, dizem-se praticante de uma filosofia não religiosa.
As imagens que vemos de Buda o retratam gordo e não preto e não retratam a verdade histórica. O poder da imagem é fundamental para inserir nas mentes a mentira.

O Buda histórico era da cor do ébano e foi retrato fielmente durante centenas de anos por diversas civilizações asiáticas.
Buda do templo Nara no Japão do ano 770 d.C

Neste artigo simplório não iremos dirimir a doutrina budista, o nosso objetivo, é discorrer resumidamente sobre a origem preta de Buda e de seus seguidores que fundaram o budismo, e como os arianos mudaram a história.



A antiga Índia é citada na bíblia quatro vezes e estava localizada no Vale do Indos e abrangia uma área do rio Oxus no Afeganistão até o Golfo de Bombaim na região meridional da Índia do Sul. Atualmente as regiões que compõem a Índia, Paquistão e Bangladesh eram partes integrantes de uma civilização conhecida por Harappans que floresceu entre 2000 a 1700 a.C. e tinha várias cidades, sendo as mais importantes Harrappan e Mohenjo-daro (Monte dos Mortos), Chanhu-Daro, Kalibagan, Quetta e Lothal. Escreverei sobre essa civilização no próximo assunto deste blogger.

Menina dançarina de Mohenjo-Daro.

A população preta do Vale do Indo foi derrotada por diversas invasões dos arianos (brancos) que deram o nome a região de Aryavarta (terra dos arianos), nos últimos anos diversos escritores brancos escrevem livros e artigos negando qualquer invasão ariana na região e criando um mito de “democracia racial”, de paz e boa convivência entre os arianos e os povos pretos do Vale do Indo até hoje, sendo desmentidos pelos próprios escritos religiosos e históricos.
A Teoria da invasão ariana baseia-se em ruínas que foram descobertas no Vale do Indo, e demonstram como foi interrompida a evolução da Índia e da sua população preta, depois dos ataques arianos. A Índia foi invadida e conquistada por nômades indo-europeus por volta de cerca de 1500-100 a.C. que lutaram contra a “Civilização Dravidiana”.
O povo ariano também criou formas opressivas relatadas nas escrituras arianas védicas, as quais dizem que houve uma guerra entre os poderes da luz (brancos) e da escuridão (povos pretos).
Foi elaborado um sistema hierarquizado denominado Varna que significa cor e instituído pela classe dirigente dos nômades do norte de pele branca que ficaram na parte superior da sociedade hindu e povos de pele preta na parte inferior.
Varnas nos Vedas:
Brâmanes (sacerdotes, professores, sábios) - saíram da boca de Brahma. Essa classe preservou os Vedas por milhares de anos.
Kshatriyas (governantes e guerreiros) - saíram dos braços de Brahma. Ações para o bem comum.
Vaisyas (comerciantes, artesões) - saíram das pernas de Brahma. Ações com interesse pessoal.
Sudras (agricultores, prestadores de serviço) – saíram dos pés de Brahma. Cumprem ordens.
Hoje este código religioso é chamado de sistema de castas. Leia o artigo sobre os dalits.
Conforme os Vedas os que são denominados Sudras (pretos) não possuem clareza mental e capacidade de pensar e decidir, são propensos à inércia e a preguiça por isso precisa de alguém que os comanda, assim é a força braçal da sociedade e cumprem ordens somente. Aquilo que foi citado nos Vedas como Varna com o sentido de qualidade (Gunas), tornou-se Casta (Varna no sentido de cor de pele) ou divisão fixa da sociedade indiana conforme a cor da pele, onde os dominadores (povo Asiático de cor branca) se colocaram no topo das castas obrigando o povo preto a cumprir as regras impostas por eles, usando como critério a cor da pele, sendo o povo invasor asiático de cor branca os privilegiados e distintos da cor negra do povo nativo.
Este povo invasor também criou códigos de leis como as “Leis de Manu” que prescrevem leis favoráveis aos Brâmanes dando-lhes poder absoluto e punições severas as outras castas que não cumprissem as leis. Para os Sudras as punições eram mais severas (como corte da mão ou dos órgãos genitais por roubo ou desejo pela mulher de um Brâmane, chumbo derretido nos ouvidos se ouvisse as escrituras, corte da língua se recitasse, e ser cortado ao meio se guardasse na memória...), verdadeiras torturas eram praticadas com o povo Indiano – Aborígenes ou Nagas e Nishadas e Drávidas membros da civilização do Vale do Indo, as mulheres foram consideradas fonte de discórdia e pecado e as leis prescreviam regras de submissão ao marido e a sociedade. Colocados para fora da sociedade hindu estavam os outros pretos considerados intocáveis ou Pária (fora da casta), que recebiam apenas os serviços que eram considerados impuros ou imundos, geralmente associados com os mortos (homens ou animais) ou com excrementos. Essa dominação dos arianos forçou grande parte da sociedade indiana ao refugio nas florestas e o desenvolvimento de parte dos vedas chamado Aranyakas. Os tantras santras também se desenvolveu em uma sociedade a parte.
As leis de Manu foram instrumento de controle social e manutenção de poder do povo branco invasor sobre a sociedade original preta.
Os documentos, as descobertas arqueológicas e o sistema de castas na Índia corroboram a verdade histórica: Os arianos invadiram a Índia. Realizaram genocídios e criaram o opressivo sistema de castas baseados na cor epitelial.

O BUDA NEGRO
Sidarta Gautama o Buda Shakyamuni nasceu da Rainha Mahamaya e do Rei Shudhodana de Kapilavastu, em aproximadamente 563 antes de Cristo em Lumbini, que é atualmente a divisa entre Índia e Nepal. Era um reino preto de guerreiros e foi treinado nas artes marciais e resistiu à invasão ariana. O Buda da Índia foi um chefe que liderou a primeira guerra contra os arianos seguidores do Bramanismo na Índia e uniu os Sudras (pretos) à quarta casta aos intocáveis.
No ano 800 d.C os lideres brâmanes liderados por Sankara criou um deus preto, chamado Krishna, que era um herói popular para contrapor as idéias pretas budistas.

Os arianos não praticavam budismo que pregava a igualdade, eles odiavam e destruíram universidades budistas, como a universidade de Nalanda, assassinando eruditos professores pretos budistas e o Bramanismo foi substituído pelo Hinduísmo.

O Budismo é uma religião de pretos na Índia, que enviou missionários para a Tailândia, China, Japão e outros países. Os arianos não praticavam o budismo e Buda nunca foi um Indo – ariano.

Buda do sétimo século na Tailândia

Buda do Vietnam / Estátua de Buda do século X

A não divulgação das estátuas pretas do Buda Histórico é meramente ideológica para evitar a discussão das civilizações pretas na Ásia e negação da invasão ariana. Os arianos se apropriaram das filosofias pretas e negam a luta de um dos primeiros revolucionários da história contra a opressão do povo preto: Sidarta Gautama – o Primeiro Buda.

12 comentários:

Nijinski Arts Internacional e.V.-Berlin disse...

Muito obrigado por essa importantíssima matéria. Sempre gostei muito do Budismo, mas nunca me toquei sobre a influencia direta negra africana ali. Mesmo sendo um militante negro e estudioso da influencia negra no mundo.
Fiquei muito feliz com isso.
Continuem com suas pesquisas, pois sao fundamentais nessa guerra fria e quente que travamos contra o europocentrismo colonialista e alienante da nossa gente, tanto no Brasil quanto na Diáspora.

Danke! Danke!

Ras Adauto Berlin

Edson disse...

Cara, achei muito louco este artigo e traz a luz negra sobre um tema que poucos param para refletir. Como preto budista estou muito feliz em saber que a convicção que eu sempre tive em relação a pretitude do Buda Sakyamuni está mais do que certa. Fora isso, não precisso nem falar que esse blogger é "MUITO LOUCO". Esse tema que vcs trazem também sobre o cristianismo do ponto de vista panafricano traz tona a diversidade religiosa negra que muitas vezes tem sido um tabú no Movimento Negro, onde muitos irm@os dizem que o retorno e manutenção de nossas raízes africanas só se faz pela umbanda e candomblé.
Obrigado pela contribuição.

Edson Pereira
Militante preto
Aluno de Direito da Unipalmares
edfx_poderpreto@yahoo.com.br

João Paulo disse...

Perfeita aula de história. Se faz necessário essa desmistificação histórica, expor a real sem ser tendencioso e quebrar os paradigmas eurocêntricos que nos deixam desnorteados e muitas vezes com ódio, ódio sim - esse é o sentimento que nos enfiam guela a baixo - mas, com um pouco de inteligência conseguimos driblar esse sentimento.


Parabéns por não reproduzir a história patética que ouvimos no nosso cotidiano.

Allyne disse...

Tenho umas fotos atuais se vc quiser .. Moro no japão e acabei de vir da Tailandia e Camboja .. Talvez vc queira umas fotos mais atuais para ilustrar a matéria.
Abcs

Aparício disse...

Olá queria dizer que essa imagem que você postou de um 'buda' branco e gordo de fato não é uma representação de buda, mas de uma divindade cultuada no xintoísmo japonês chamada Hotei. Não tem uma ligação com o budismo clara, e no ocidente foi confundida com representações do Buda Shakyamuni.
Gostaria que você expusesse as fontes onde você fez essas descobertas, quais os autores que argumentam a esse respeito.
De minha parte, gostaria de dizer que o ponto central é o fato de que a doutrina de Buda apontava para a ideia de que independente do nascimento, condição social, cor etc. todos os seres tinham em comum o sofrimento e a capacidade de extinguir o sofrimento, e um desses caminhos consistia em cessar de causar mal aos outros seres. Vejo que isso eventualmente poderia trazer complicações pois o sistema de castas se tornava um detalhe secundário, mas não conheço evidências de que Buda liderou qualquer tipo de movimento armado ou rebelião com uso da violência.
Quanto a imagens negras não conheço nenhuma ocultação e não divulgação.
Quanto a circularidade cultural afro-asiática, tem inúmeros estudos antropológicos e arqueológicos que atestam que isso era uma realidade.

Anônimo disse...

Depois dessa os negros vão querer cotas cotas no nirvana.

farao disse...

Irmões assim que eu iria ler sobre a Grande materia sobre os Askans , eu vi esta materia sobre o Sirdata Gautama , e não resistir , prá mim está sendo um presente porque eu estou justamente pesquisando sobre os primeiros pregadores desta Religião que considero um filosofia ,( mas isso porque sou seguidor indubitavel de Yeshua)o povo preto!!!! ,este continente Índiano quanto mais se estuda mais mais se fica facinado , uma das minhas melhores descobertas , foi um registro que varios hebreus teriam chegado ao sudoeste indiando após a invasão de Nabucondosor em 587 a.c, no estado de Kerala , outra coisa ,e a influência das artes marciais , que foi o povo preto os primeiros a desenvolver ,assim como a capuera e levada no no seculo 5 por um monge budista para a china , isso merece um grande destaque !!!! outra coisa importante que foi posta aqui e a qual familia realmente pertence a Sirdata , muitos livros dizem que ele era filho de Brâmader , uma das coisas que tive grande dificuidade de ter realmente certeza que ele era negro ! outra , e o que Crixina o deus preto estava fazendo no meio dos deuses hindus , realmente eu nunca conseguir enterder , mas ,finalmente entendo , mas apesar de saber mesmo que inconciente que havia algo esteriotipádo nisso ! O budismo na época de nara foi muito influênte no japão tanto que o Principe Shotoku Taishi aparece negros em varias estatuas dele mesmo !! eu mesmo cheguei a ver uma deusa chamada Ashira ,com a cor muito negra e com as caracterista de Japonesas mesmo ! más não se pode falar do Budismo sem dizer sobre os pregadoresdos Reis negros da ilha de Samatra ,que mais tarde migraram para burumbudur (Java) lá eles criaram , umas das maiores criações em predra e em homenagem ao budismo !!!!! um dia se vocês poderem de uma atenção para o povo preto de Java ! uma das maiores nasções negra que já houve !!!! , um abraço !!

Paulo Rogério disse...

Como sempre esse blog dando uma aula sobre a história do povo preto na terra. Queria sugerir uma matéria sobre o povo Kanak que habita na oceania (Melanesia) e é um povo de pele preta, típicamente da primeira diáspora africana há milhares de anos e que foram escravizados pela França.

A HUMANIDADE ANDA AMEDRONTADA disse...

Achei vc um cara da porra desculpa expressao apesar de nem ler totalmente o bloger cara demais pensava q sabia mto nao sei nada mto bom apreender coisas interessantes de qualidade, verdadade e universal amei.
estarei sempre atenta a vcs.

raimunda martilene disse...

Fico contente em encontrar um blog sobre afrocentridade que não esteja relacionado às religiões animistas africanas.Ressaltando o que Aparicio disse, cite as fonte para confirmar suas teses.

Anônimo disse...

O que dizem os sutras?

A sua complexão é brilhante, de cor dourada
Os seus olhos são de um azul profundo. (Lakkhana Sutta)
Os seus olhos são de um azul profundo ...(Bramayu Sutta)

“Eu sou descendente de uma dinastia solar e nasci como um Shakya”(Suttanipata 3.1.19.).


"Dinastia Solar" era referência aos arya.


Ler o Ambatha-Sutta todo.


Parem de espalhar mentiras sem ao menos consultar os sutras.

henrique fernando disse...

Nota mil esse blogue. Eu já tinha uma visão de um buda negro. Até hoje grande parte dos indianos são negros e marginalizados. PARABÉNS NOVAMENTE. Continue postando temas sérios e verdadeiros que desmitificam a falsidade ideológica.

PRETAS POESIAS

PRETAS POESIAS
Poemas de amor ao povo preto: https://www.facebook.com/PretasPoesias