sábado, 6 de dezembro de 2008

O PRIMEIRO CONCURSO DE BELEZA NEGRA DA HISTÓRIA

Por Walter Passos. Teólogo, Historiador, Pan-africanista, Afrocentrado e Presidente CNNC – Conselho Nacional de Negras e Negros Cristãos. Pseudônimo: Kefing Foluke. E-mail: walterpassos@gmail.com

É fundamental nos estudos afrocêntricos compreender o continente africano e asiático como uma continuidade geográfica (de fato, até a construção do moderno Canal de Suez, em 1869) é indispensável para reafirmação da verdadeira história e dinâmicas sociais. Afirmar também que toda essa extensão geográfica constituía a dinâmica de populações preta: suas civilizações, relações comerciais, religiões, conflitos, e principalmente o reflexo do modo africano de viver em sociedade.
Esse artigo versará regiões e pessoas de origem africana, incontestavelmente pessoas pretas, que formaram incríveis civilizações por acinte omitidas pela história eurocêntrica, embranquecida.
O fato histórico a ser descrito ocorreu entre 485 a 465 a.C (antes do nascimento de Yeshua, o Messias) e têm encontrado no Livro de Esther alguns de seus principais personagens:
1-E sucedeu nos dias de Assuero, o Assuero que reinou desde a Índia até Etiópia, sobre cento e vinte e sete províncias,
2- Que, assentando-se o rei Assuero no trono do seu reino, que estava na fortaleza de Susã.
Xerxes I (خشایارشا) foi um rei persa (reinou de 485 a 465 a.C), da dinastia aquemênida. "Xerxes" é tentativa na língua grega de soletrar o nome persa Khshayarsha. Na Bíblia Xerxes I é conhecido como Assuero.

Xerxes I (Assuero) e Rodrigo Santoro No filme “300”, mais uma vez o cinema nega a negritude das personagens.


5- Havia então um homem judeu na fortaleza de Susã, cujo nome era Mardoqueu, filho de Jair, filho de Simei, filho de Quis, homem benjamita,
6- Que fora transportado de Jerusalém, com os cativos que foram levados com Jeconias, rei de Judá, o qual transportara Nabucodonosor, rei de babilônia.
7- Este criara a Hadassa (que é Ester, filha de seu tio), porque não tinha pai nem mãe; e era jovem bela de presença e formosa; e, morrendo seu pai e sua mãe, Mardoqueu a tomara por sua filha.

Então, temos duas personagens principais: Assuero e Hadassa, duas personagens negras atuando em uma cidade negra chamada Susã.
Antes de entrarmos no concurso de beleza negra iremos falar sobre as principais civilizações inseridas neste contexto histórico:

Os Elamitas

Gênesis 10:21-22 - A Sem, que foi o pai de todos os filhos de Eber e irmão mais velho de Jafé, a ele também nasceram filhos. Os filhos de Sem foram: Elão, Assur, Arfaxade, Lude e Arão.
Elão foi uma das mais antigas civilizações da Terra e teve como berço as antigas civilizações de Khemt (Egito) e de Cush, da mesma forma que os sumérios tiveram.

A civilização de Elão estava situada ao norte do Golfo Pérsico e do Rio Tigre, a leste da antiga Babilônia, onde hoje é o sudoeste do Irã e Iraque. Foram conhecidos como um povo belicoso que ameaçava a toda poderosa Babilônia. A civilização contou com um grande desenvolvimento em todas as áreas do conhecimento, tanto literário e quanto arquitetônico e escultural, produzindo ao mesmo tempo diversos utensílios de metais preciosos e muitos templos religiosos.
Os Elamitas se originaram no Vale do Nilo e fizeram parte das migrações africanas das pessoas dessa área, cerca de 8000 a.C a 5000 a.C. O estabelecimento do reino de Elão localizou-se onde os habitantes eram em sua maioria puramente pretos (nos termos antropológicos Negroide-Astraloid), da mesma escala das pessoas pretas que habitam o Sri-Lanka e o sul da Índia. Alguns dizem serem os Elamitas cushitas puro-sangue.

Herodotus e outros escritores gregos da casa de Memnon os descreviam como pessoas advindas da Etiópia (África), a terra dos pretos.
São descritos também como pessoas baixas e robustas de epiderme marrom, cabelos e olhos crespos e pretos, que habitaram uma considerável parte do continente asiático em tempos antigos, como se pode observar nas imagens por eles desenhadas.A capital do Reinado foi a cidade de Susã. Por este motivo também são conhecidos como Susianos. Algumas outras cidades também merecem destaque como Awan, Simash, Madaktu e Dur-Untash.
Cidade de Susã, capital do Império Elamita
Além da guerra, o comércio foi o centro das relações dos Elamitas, que comercializavam com todo o continente africano. Suas embarcações atravessavam o Tigre e o Eufrates e também o sudoeste africano, indo pelo Mar Vermelho.
Depois na história entrem 750 d.C a 450 d.C os Assírios invadiram militarmente os Elamitas e o dominaram saqueando quase completamente a região da Babilônia.

Observem o detalhe do cabelo crespo, a barba e o nariz tipicamente com traços Cushitas, africanos.

OS HEBREUS
Não há duvidas sobre a negritude dos verdadeiros hebreus, apesar de hoje habitarem a terra prometida, pessoas caucasianas que não são os verdadeiros descendentes de Abrão, Isaque e Jacó. São os Askenazis convertidos a tradição dos hebreus, e em breve faremos um artigo especial sobre esse fato.
A arqueologia, o Primeiro Testamento e os hebreus pretos espalhados no continente africano e americano nos dão as provas consistentes da aparência de Hadassa, a mulher preta que venceu o primeiro concurso de Beleza negra realizado na cidade Susã.
Os relatos sobre a vida de Moisés no Primeiro Testamento atestam a sua negritude.
Obeliscos encontrados em escavações, que atualmente estão no Museu britânico:

Hebreus no cativeiro - Olhem os detalhes são pessoas pretas

O CONCURSO DE BELEZA NEGRA
2-Então disseram os servos do rei, que lhe serviam: Busquem-se para o rei moças virgens e formosas.
3- E ponha o rei oficiais em todas as províncias do seu reino, que ajuntem a todas as moças virgens e formosas, na fortaleza de Susã, na casa das mulheres, aos cuidados de Hegai, camareiro do rei, guarda das mulheres, e dêem-se-lhes os seus enfeites.
4- E a moça que parecer bem aos olhos do rei, reine em lugar de Vasti. E isto pareceu bem aos olhos do rei, e ele assim fez.
O Império Persa possuía regiões que iam da Etiópia até a Índia, e de lá vieram dezenas de mulheres pretas, sendo escolhidas as mais belas e formosas, objetivando de se escolher a esposa do rei Assuero (Xerxes I). A beleza da mulher negra sempre foi ressaltada e louvada nos escritos da antiguidade, inclusive o preto Salomão, foi um admirador e apaixonado pelas mulheres originais - as mais belas do planeta. O seu amor pela Rainha Makeda ou Balkis do reino de Sabá, tornou-se a mais conhecida das histórias de amor da literatura mundial.
16- Assim foi levada Ester ao rei Assuero, à sua casa real, no décimo mês, que é o mês de tebete, no sétimo ano do seu reinado.
17- E o rei amou a Ester mais do que a todas as mulheres, e alcançou perante ele graça e benevolência mais do que todas as virgens; e pôs a coroa real na sua cabeça, e a fez rainha em lugar de Vasti.
18- Então o rei deu um grande banquete a todos os seus príncipes e aos seus servos; era o banquete de Ester; e deu alívio às províncias, e fez presentes segundo a generosidade do rei.

Entre dezenas de lindas jovens de diversas nações pretas, Hadassa (Ester) foi considerada a mais bela entre as belas e teve posteriormente um papel fundamental na preservação do seu povo, evitando que o mesmo fosse exterminado. Em outro artigo escreveremos da Negra Hadassa, amor ao seu povo e Purim.

The Elam Empire - Ancient history

7 comentários:

farao disse...

OLha so aqui mesmo pra gente ter informacoes tao valiosas assim
que nao sao ficticias ,mais sim posta a prova da verdade , com certeza da pra ver que para este tipo de encino tao aprofundadado no encino publico vai ser ,vai demora um pouco, Com certeza com estes tipos de informacoes a populacao negra teria mais alto estima pricipalmente as mulheres negras ,que vem de Eva preta , como nos homens, estarei esperando a materia sobre os ebreus na terra prometida , por que isto sempre me poem em duvidas ,sobre a direcao que tomou o povo verdadeiro ,por que Deus prometeu a terra prometida a os semitas ,mais hoje infelizmente eles nao erdarao a terra , um abraco

Bete disse...

(Essa discussão é séria e não deve ser encerrada):

"O grande problema de parte significativa da militância é "não ver o todo" e só se preocuparem com os paradigmas de suas vertentes, com relação ao discurso das companheiras da vertente mulher negra, enquanto continuarem comprando o discurso divisionista de "vilanização do homem negro" e não mirarem no alvo certo (os centenários e verdadeiros culpados pela situação negra em geral e mais específicamente da mulher negra), vamos continuar em um improdutivo "fogo amigo" e dando "tiro no pé" ..."

O que o Juarez escreve como "discurso das companheiras da vertente mulher negra", ao meu ver, é a base do movimento.
A queixa das mulheres de que os homens negros não têm compromisso com a família nem com a etnia é legítima e não se deve ser colocada de lado como uma questão qualquer.

"homens não entram em relacionamentos pensando em "formar família"... isso é apenas uma consequência de um bom relacionamento que eventualmente conduza a tal..."

O problema ao que parece é que a maioria dos homens negros nunca pensa em formar família (como mostrou diversos depoimentos), mesmo depois de sua família estar formada (rs), ou seja, não existe um compromisso familiar em passar valores aos filhos (e isso inclui: VALORIZAR A BELEZA DAS FILHAS E FILHOS, AINDA QUE O MUNDO NÃO VALORIZE), em ser leal e fiel para com sua esposa negra, ou em pensar numa descendência próspera, digna, valorosa, com boa auto-estima (enquanto indivíduos e enquanto grupo familiar/social), etc.

"Todo reino dividido contra si mesmo ficará deserto, e toda cidade ou casa dividida contra si mesma não subsistirá." Mt. 12:25


Como olhar para o "todo" sem prestar atenção na base?
Como iniciar uma casa pelo telhado?
Como pensar num movimento reinvindicatório, legítimo sem levar em conta príncípios e valores?
Se são os valores que transformam as pessoas em seres humanos melhores (internamente fortes), como negar as reinvindicações por relacionamentos moral e eticamente mais corretos?

É isso que não entendo e que me faz até desacreditar dessa luta.
Nunca participei do movimento negro, por verificar que se trata de uma luta sem valores; sempre me decepciono ao ver que se trata de uma luta somente para derrotar o inimigo branco e não se trata de uma luta para melhorarmos enquanto seres humanos negros, compromissados com um mundo melhor para todos. (me refiro ao MNU e não ao CNNC)

Que igualdade há quando um povo somente pensa em derrotar o outro?
Que evolução/edificação existe quando não buscamos crescimento interno enquanto seres humanos e enquanto movimento?
Que igualdade há quando o homem negro quer mulheres negras apenas para a luta, mas não para formar família?
A mulher negra é "massa de manobra", tal qual nos discursos dos primeiros operários ao se referirem aos intelectuais em relação ao povo?

Enquanto o homem negro não reconhecer/valorizar a mulher negra e não pretender formar com ela um LAÇO FORTE, essa luta nunca chegará a lugar nenhum!!!

Repito a citação sábia de Cristo:

"TODO REINO DIVIDIDO CONTRA SI MESMO FICARÁ DESERTO, E TODA CIDADE OU CASA DIVIDIDA CONTRA SI MESMA NÃO SUBSISTIRÁ." Mt. 12:25

Yaakov Bonner disse...

Bem li algumas coisas que são meias verdades. em primeiro lugar quero dizer que sou Judeu de mãe Judia. Sou sefaradita, ou seja Judeu filho dos Judeus orientais que sempre estiveram na espanha antes do periodo de dominação árabe. Como um Judeu sefaradita tenho cabelo crespo e Pele Morena (qusse vermelha). Assim foram meus antepassados e os deles. Os indios são indios, os negros são negros, Os Brancos são brancos, os Arianos são Arianos. Não posso dizer que os Indios são negros por causa do Nariz ou pele por que alguns negros tem a pele mais clara. Os Azkenazim são sim brancos arianos, mas são Judeus de sangue e não roubaram nada de nós sefarad. Ao contrario, muitos dos Azkenazim preservaram coisas boas e nos ajudaram a levantar o Judaísmo. Eles são descendentes dos Judeus ou Levitas Junto com alguns Alemães e polonezes que se converteram de forma kasher e se casaram com Judeus e Levi'im. Eassim as familias se juntaram dentro de nossas leis. Eles são nosso sangue. Tendo cabelo crespo ou Liso. MOreno ou claro. Somos uma familia filhos do mesmo pai Jacó (Ya'akov). Inclusive os azkenazim aceitam os sefaraditas do Brasil, mas os Cristãos não aceitaram os Judeus de cabelo crespo, pois não aceitavam um deus Jesus Semita, ou seja Árabe, como todos os Semitas. POr isso a inquisição na Espanha e Portugal E brasil e o Holocausto na Alemanha.

ya'akov Boner disse...

Bem li algumas coisas que são meias verdades. em primeiro lugar quero dizer que sou Judeu de mãe Judia. Sou sefaradita, ou seja Judeu filho dos Judeus orientais que sempre estiveram na espanha antes do periodo de dominação árabe. Como um Judeu sefaradita tenho cabelo crespo e Pele Morena (qusse vermelha). Assim foram meus antepassados e os deles. Os indios são indios, os negros são negros, Os Brancos são brancos, os Arianos são Arianos. Não posso dizer que os Indios são negros por causa do Nariz ou pele por que alguns negros tem a pele mais clara. Os Azkenazim são sim brancos arianos, mas são Judeus de sangue e não roubaram nada de nós sefarad. Ao contrario, muitos dos Azkenazim preservaram coisas boas e nos ajudaram a levantar o Judaísmo. Eles são descendentes dos Judeus ou Levitas Junto com alguns Alemães e polonezes que se converteram de forma kasher e se casaram com Judeus e Levi'im. Eassim as familias se juntaram dentro de nossas leis. Eles são nosso sangue. Tendo cabelo crespo ou Liso. MOreno ou claro. Somos uma familia filhos do mesmo pai Jacó (Ya'akov). Inclusive os azkenazim aceitam os sefaraditas do Brasil, mas os Cristãos não aceitaram os Judeus de cabelo crespo, pois não aceitavam um deus Jesus Semita, ou seja Árabe, como todos os Semitas. POr isso a inquisição na Espanha e Portugal E brasil e o Holocausto na Alemanha.

raimunda martilene disse...

Essa idéia que Moises foinegra é uma inverdade histórica. Não sei em que o autor desse artigo que comento acredita. Dizer que os egípcios são negros é incontestável pois estavam na Africa.

Se ver a história de Abrão verá que ele é um semita enquanto os povos da Africa são camitas.Pode-se dizer que os árabes são possuem descendência afro, pois Ismael era filho da escrava egípcia, e ão princesa de Kernak, Agar. Os Judeus descendente de José são filhos de mãe egipcia.
Fato que muitos judeus não são negros mas também não são brancos são poucos os judeus negros. Alguns se diziam bastardos do rei salomão com a rainha de Sabá.

Considera-se branco os jafitas a Africa e fenicia são camitas. Pode se dizer que foram os filhos de Cam que inventaram a coisa mais importante, o alfabeto.

Veja bem o que o amigo anda fazendo em próu dessa causa, que afinal é nobre. há muitas inverdades nõ só neste arigo como em outros.

Anônimo disse...

Penso que muitas pessoas não querem enchergar a verdade dos fatos, as pessoas estão rejeitando uma história real que não foi apagada por ser tão rica em detalhes, preferem acreditarem nos seus atuais dogmas do que quebrarem paradgmas, esses judeus atuais que são os donos da mídia, dos bancos, das leis atuais, são uma grande furada, os remanescentes Hebreus só podem serem as 12 tribos perdidas e a 13ª não faz parte dessa história!

Leila L disse...

Muito bom o artigo. gosto muito de te ler, pois como tb adoro a história da origem para poder entender como aconteceu a transformação da sociedade para o racismo te leio sempre. este teu site prá mim é uma das melhores referências históricas de nosso povo negro. Vai que vai.
Leila Lopes

PRETAS POESIAS

PRETAS POESIAS
Poemas de amor ao povo preto: https://www.facebook.com/PretasPoesias