quarta-feira, 25 de julho de 2012

MULHER PRETA E A SEXUALIDADE – AS RESPOSTAS DAS MULHERES


Por Malachiyah Ben Ysrayl - Historiador e Hebreu-Israelita
E-mail: walterpassos21@yahoo.com.br
Msn: kefingfoluke1@hotmail.com
Skype: lindoebano
Facebook: Walter Passos


Neste artigo doze mulheres respondem sobre o que pensam acerca da sexualidade das mulheres pretas. No artigo anterior os homens expressaram as suas opiniões.

Para isso, escolhemos metodologicamente um questionário que busca gradativamente debater alguns pensamentos do senso comum até a reflexões sociológicas de como ocorre o desenvolver da sexualidade feminina.

Conforme utilizada anteriormente, a publicação dos nomes ou apelidos apenas ocorrerá por manifestação expressa do entrevistado, nos demais haverá o sigilo.

Inicialmente, o artigo não foi concebido para a realização de análises aprofundadas das respostas, o que permitirá a você, leitor (a), uma visão não lapidada dos pensamentos expressos pelas entrevistados, inclusive mantidos da mesma maneira como foram escritos.

1. VOCÊ CONCORDA QUE GENETICAMENTE A MULHER PRETA É MAIS “QUENTE SEXUALMENTE” QUE AS MULHERES BRANCAS?


Entrevistada 01: Não existe nenhum embasamento cientifico que ateste que a mulher negra tenham mais desejos sexuais que as mulheres brancas. O que se tem, é um cenário onde as mulheres brancas foram educadas para serem recatadas e inibidas nas questões sexuais o que difere e muito das mulheres negras que sempre foram vistas como objeto sexual. Outro fato, o condicionamento mental, propiciou ao longo da história a diferença entre o comportamento sexual da mulher negra e branca.

Entrevistada 02: Eu não concordo nem discordo, eu sou hetero e não sei da parte da mulher. Mas dos homens eu sou negróloga e sei que sou compatibilíssima sexualmente com negros e minha passarinha só bate asas para os de minha cor.

Entrevistada 03:
Acredito que as mulheres negras devido a sua ancestralidade sentem mais em paz e livres com seus corpos, salvo aquelas mulheres que sofrem a excisão do órgão feminino

Donna Liu:
Sim. Acredito pelo empirismo. Muitos amigos me dizem isso; só acredito também que é necessário haver uma pesquisa científica mais detalhada. Entretanto, devemos ter cuidado com essa afirmação, pois ela vem sendo alimentada desde a colonização, quando não tínhamos nem direito sobre os nossos próprios corpos. A ideia de exploração sexual ainda pode estar imputada nessa frase. Depende de como e quem a produz. Infelizmente muitos homens só assumem a mulher negra na hora do sexo.

Entrevistada 05:
Isso é mito, a cor da pele não está diretamente ligada ao desempenho sexual, mas ao preconceito decorrente da escravidão
Narinha Conceição: Não acredito que nós mulheres pretas somos mais quentes sexualmente.

Entrevistada 07:
Não, acho que isso não tem nada a ver.

Entrevistada 08:
Acho

Entrevistada 09:
Não... Chamamos mais atenção só isso.

Entrevistada 10
: Não creio que exista diferença

Mônica Franciso:
Não, infelizmente vivemos numa sociedade pós-colonial essa ideologia que a mulheres negras são sexualmente mais quentes que as brancas advém da necessidade de justificar os estupros cometidos contra as negras e indígenas na época da colonização e hoje é naturalizado dentro da cultura, na representação das mulheres pretas sempre retratadas como marginais e prostitutas. Daí a permanência no imaginário popular da mulher negra, mulata “tipo exportação” caçadora de brancos gringos que foge a realidade da maioria das mulheres negras contemporâneas.

Kcris Nigeria:
Sem nenhum preconceito com as mulheres brancas, mas os próprios homens deixa claro sua preferência com relação as mulheres negras na hora do sexo por trazerem uma libido muito mais aguçada, que com certeza estimula bastante na pratica os desejos masculino.

2. VOCÊ CONCORDA COM QUE SE O HOMEM É INFIEL, DEVE A MULHER TRAIR OU “PAGAR NA MESMA MOEDA”?

Entrevistada 01: Não há hierarquia entre homens e mulheres, todos tem desejos e podem no decorrer de uma relação estável admirar uma terceira pessoa e isso independe de provocação . Se o homem ou a mulher sente desejo por outra pessoa não vejo o porquê o outro fazer o mesmo. Ademais trair é transgredir a preceitos efetivamente nosso, é algo pessoal e subjetivo. Se o outro se sente ofendido e faz o mesmo, corre o risco de esta cometendo a efetiva traição a cometida contra a si mesmo.

Entrevistada 02:
Não. Homens saindo com muitas mulheres na nossa cultura é viril, mas mulheres fazendo o mesmo são vagabundas, por isso somos mais comedidas até porque se esse homem é tão fominha ele não gosta da esposa e se quiser ser livre para voar, não faz sentido ser casado.

Entrevistada 03:
Não, mas dá muito ódio muito grande, deixando uma cicatriz e vazio profundo que talvez se preencha com outro galanteio. Creio que seja uma traição emocional do ego.

Donna Liu:
Não. A vingança seja ela por qualquer motivo, não é saudável para se manter durabilidade de um relacionamento. Penso que devamos sim, discutir o conceito de fidelidade dentro da relação. Em que tipo de atitudes está presente essa fidelidade.

Entrevistada 05:
Durante algum tempo concordei com esse tipo de pensamento, hoje vejo que a valorização da mulher é algo urgente, não preciso trair para me sentir melhor, apenas ser eu mesma, reproduzir um comportamento negativo não me faz melhor do que quem me feriu.

Narinha Conceição:
Eu ñ sou a favor, temos q nos impor de uma outra forma.

Entrevistada 07:
Acho que não, se ela tiver preparada psicologicamente, deve encerrar ou repensar a relação.

Entrevistada 08:
Não

Entrevistada 09:
Não... já passou o tempo de olho por olho, dente por dente. Cada um faz o que tem vontade.

Entrevistada 10:
Acho que partir pra outra seria o ideal.

Mônica Franciso:
Não sei, a traição contém em si uma série de problemáticas maiores que o próprio ato sexual.

Kcris Nigeria:
NÃO. O homem por ser viril já possui essa característica de dominação sobre a mulher, é da natureza do homem ter mulheres, independente de quantas. A traição acontece decorrente de diversos fatores não necessariamente partindo da mesma.

3. COMO VOCÊ OBSERVA O COMPORTAMENTO SEXUAL DA MULHER PRETA?


Entrevistada 01:
As mulheres negras costumam ser mais desinibidas, mais livres e donas dos seus desejos !

Entrevistada 02:
eu não observo, eu só sei que somos chamada de barraqueiras, mas nosso sangue afro não nos permite engolir sapo.

Entrevistada 03: Depende, mas infelizmente a maioria se comporta deslealmente, atacando os companheiros das irmãs igualmente negras.

Donna Liu:
Não sei ao certo. Muitas irmãs ainda estão perdidas com esse conceito de liberdade sexual que envereda na luta do “feminismo branco”.

Entrevistada 05:
Acredito que deva ser mais complicado, para a mulher negra lidar com a sexualidade, pois a cor de sua pele está impregnada de estereótipos criados pelos brancos ao longo de vários anos.

Narinha Conceição: Eu vejo uma exacerbação no comportamento sexual de algumas mulheres pretas, decorrentes da sua socialização. Herança do colonialismo.

Entrevistada 07: Acho que isso é racismo puro, sexualizaram o corpo da negra, da "mulata" então nem se fala. Algumas infelizmente aderem a esse estereótipo para sobreviver. Não cabe a nós julgá-las.

Entrevistada 08: Caliente.

Entrevistada 09:
A mulher negra é vista como objeto de desejo, por suas curvas, e não pelo seu potencial, pelo sua inteligência...isso denigre nossa imagem, não somente um par de coxas roliças, temo muito mais que isso.

Entrevistada 10:
Não tenho como responder isto

Mônica Franciso:
Normal, embora sejamos estereotipadas o tempo todo ou somos as caçadoras de homens brancos ricos ou somos as fáceis em busca de sexo. A sexualidade é mais um fator cultural e social que relativo a etnia, carregar esse fardo do racismo junto com o sexismo é mais uma luta que travamos diariamente até a morte.

Kcris Nigeria:
Dotado de sensualidade, desde o falar, vestir-se e domínio da situação.

4. COMO VOCÊ ENTENDE QUE A MULHER PRETA LIDA COM SUA SEXUALIDADE?

Entrevistada 01:
Pelo condicionamento mental somado a falta de conhecimento, as mulheres negras são a escoria na sociedade pseud. Moralista que vivemos, pelo modo de andar, se vestir, pela exposição das relações etc.

Entrevistada 02:
com desconfiança dos homens. principalmente quando são bem sucedidas, aparece um monte de interessados para usufruir o que ela conseguiu com muita luta. Estamos calejadas.

Entrevistada 03:
Não sei, mas imagino que possa ser com poder.

Donna Liu:
Precisamos de orientação. Estamos perdidas num conceito de emancipação que exclui o sexo masculino das nossas discussões, quando isso pra mim, seria imprescindível.

Entrevistada 05:
Não respondeu

Narinha Conceição:
Lidamos de forma "vulgar", pois fomos socializadas para isso, e nos são inculcadas informações a todo momento de q somos unicamente objeto sexual

Entrevistada 07:
Acho que com muita naturalidade.

Entrevistada 08:
Acho que sem preconceitos

Entrevistada 09:
Eu quero ser vista pelo que sou e não se sou sensual ou não...

Entrevistada 10:
Observo que normalmente mulheres negras se vestem e possuem comportamentos mais sensual que a mulher branca.

Mônica Franciso:
Lida de acordo com o momento, com a situação em que está inserida e dos atravessamentos de religião, da cultura, do meio social e educação que possui.

Kcris Nigeria:
A mulher negra carrega toda uma herança genética e cultural, o que torna ela fascinante. Atualmente percebe-se que as mesmas encara a sexualidade com naturalidade, respeito e dignidade. Afinal de contas ela não deixa de ser uma MULHER por ser negra.

5. O CONCEITO DE LIBERDADE SEXUAL, QUE A MAIORIA DAS MULHERES PRETAS ALMEJA OU ENTENDE POSSUIR, UTILIZA A FIGURA MASCULINA COMO BASE?

Entrevistada 01: A liberdade sexual que as mulheres negras têm buscado em muito se assemelham a dos homens

Entrevistada 02
: Nossa liberdade sexual está exatamente no respeito ao próprio corpo e a não dependência do homem no convívio e sim a distancia. Não morar juntos, e se libertar de lavar cuecas, fazer prato,lavar, passar ,cozinhar e a noite ter que ter disposição para fazer um sexo gostoso, é surreal.

Entrevistada 03:
Sim, infelizmente.

Donna Liu:
Infelizmente não. Para que atinjamos a liberdade sexual o homem precisa entender o que queremos e se ele não está na base dessas discussões como ele poderá saber? Parece meio óbvio, mas não é o que acontece.

Entrevistada 05:
As mulheres em geral ainda se utilizam da figura masculina como padrão de comportamento, para se auto afirmarem, espero sinceramente que essa visão mude.

Narinha Conceição:
Acredito q sim

Entrevistada 07:
Sim, acredito que uma vida livre sexualmente, porém sempre fica o estigma de ser chamada de "puta", nós mulheres queremos ter a mesma liberdade sexual dos homens.

Entrevistada 08:
Não.

Entrevistada 09:
Não... ao meu entender isso só vai reiterar a maneira que os homens veem as negras...acho que a mulher em geral...não importa a etnia

Entrevistada 10:
Não concordo.

Mônica Franciso:
Que liberdade sexual? Esse é o mito da sociedade branca em que estamos inseridas, não existe para a mulher preta, pobre, vítima de racismo uma “liberdade sexual” em que ela pode ser dona de seu corpo.
Não somos livres para isso e nem temos liberdade, digo, como grupo de mulheres pretas envolvidas com a sobrevivência em busca de uma vida menos indigna para nossas futuras gerações.

Kcris Nigeria:
NÃO. A liberdade sexual que hoje a mulher negra possuir, esta diretamente ligada a ascensão que as mulheres como um todo conquistou. Independente da masculina. Não esquecendo, que mesmo dentro de toda mudança de conceitos sobre a sexualidade ainda hoje existem mulheres negras que vivem dentro de uma tradição familiar que não se permite uma plena liberdade sexual.

6. VOCÊ ENTENDE QUE O FEMINISMO INFLUENCIA AS MULHERES PRETAS NO VIVER DA SUA SEXUALIDADE?


Entrevistada 01: A luta por igualdade de Direitos entre homens e mulheres que fundamenta o feminismo sem dúvida influencia as mulheres negras no viver da sua sexualidade!

Entrevistada 02: Ensina as mulheres preta, que se viemos de uma luta constante, homem se não for parceiro é um parasita que nos atrasa a vida e nos limita no crescimento pessoal. Fazer sexo é uma necessidade e liberdade de ir e vir, sem ter que dar satisfação sem cobranças e viver uma vida plena, é qualidade de vida.

Entrevistada 03: Não pq o feminismo não trata da questão da mulher negra.

Donna Liu:
Não. Primeiro que pra mim o feminismo é utopia. Um amigo uma dia explanou para mim: “o sufixo ismo pressupõe dominação de um grupo em relação a outro não é”? Respondi: “é”! “Há dominação da mulher em relação ao homem”? Ele perguntou novamente, ao que respondi: “Não”. “Então não existe feminismo”, ele finalizou. E eu concordo plenamente. Haverá feminismo quando passarmos a receber remunerações maiores que a dos homens. E o equívoco da luta da mulher preta nesse contexto, se dá porque nós perdemos em três escalas: para o homem branco, o homem preto e a mulher branca.

Entrevistada 05:
Acho que a mídia influencia muito mais...

Narinha Conceição:
Eu entendo q sim, somo influenciadas nas nossas relações sexuais.

Entrevistada 07:
Sim, claro. O feminismo tem clara influência sobre o comportamento sexual das mulheres negras ou não, de uma forma ou de outra essas discussões chegam a todas nós, e daí um reposicionamento perante a opressão frente a sociedade machista.

Entrevistada 08:
Não.

Entrevistada 09:
Penso que não...

Entrevistada 10:
Sim .

Mônica Franciso:
Feminismo branco? Risos. A mulher preta consciente sabe que está fora dessa jogada e o feminismo negro vai na contramão disso, queremos ter direito a dignidade de criar nossas crianças pretas, de podermos ter um atendimento médico mais humanizado, ter uma representação social melhor. E outras demandas. Essas são ignoradas pelo feminismo branco e não me contempla como mulher preta.

Kcris Nigeria:
Pode até influenciar, acredito que por estarem, mas independentes e conquistando cada dia seu espaço, a maioria não se deixa influenciar totalmente pelo feminismo. Os conceitos mudarão.

E você, o que pensa? Comente, discuta, apresente novas ideias e participe! 

  Acesse:
Poemas de amor ao povo preto: https://www.facebook.com/PretasPoesias

8 comentários:

Anônimo disse...

Adorei a pesquisa, a mesma denotou o quão abrangente é o assunto . Um debate sobre esse assunto é de fundamental importância. Pois ser mulher e negra é um grande desafio. “Desafiar “os estereótipos de: beleza, comportamento, relacionamentos, em um mundo onde a” moral” imposta por uma sociedade machista e religiosa se sobrepõe à ética pessoal. Discutir isso é discutir sobre: a liberdade de escolhermos como nos vestir, amar, viver, sem ser tachada com tantos adjetivos depreciativo .Em fim é discutir a dignidade da mulher e mulher negra !

Anônimo disse...

Gostei da negona número 2.
Uma pena que ela não se identificou. Uma negona de atitude:Mas dos homens eu sou negróloga e sei que sou compatibilíssima sexualmente com negros e minha passarinha só bate asas para os de minha cor.
Eu quero te conhecer.

Léia Bertolino disse...

Gostei da pesquisa precisamos pensar mais serio sobre este assunto.

Léia Bertolino disse...

Penso que pode ser verdade? Gostaria que este debate fosse abrangente ao sexo masculino(negros),eu particularmente sendo da raça negra sinto que sim,tenho algo mais a oferecer e permanecer oferendo ao meu parceiro,!Léia Bertolino dos santos

PSICOLOGO DAS NEGONAS disse...

As doze mulheres representam doze pensamentos diferentes. Realizaram uma catarse e sinto-me na obrigação de analisá-las porque todas não estão sendo bem amadas. Oferece-me gratuitamente para resolver os problemas delas. Vamos aos diagnósticos:
Negra 1- Nota 8. Demonstrou boa desinibição nas perguntas, deixou algumas explicações no ar: As mulheres negras costumam ser mais desinibidas, mais livres e donas dos seus desejos! Não pode generalizar.
Negra 2- Nota 9- Ela mesmo afirma que é barraqueira: eu não observo, eu só sei que somos chamada de barraqueiras, mas nosso sangue afro não nos permite engolir sapo. Deve explicar melhor o que é passarinha. Precisa passar no meu consultório para uma consulta gratuita.
Negra 3- Nota 8- Consciente em seus argumentos, infelizmente é uma mulher que toma corno: Depende, mas infelizmente a maioria se comporta deslealmente, atacando os companheiros das irmãs igualmente negras. Precisa arrumar outro negão.
Donna Liu- Nota 10- Mulher consciente. Reconhece que todas as mulheres negras precisam de ajuda: Precisamos de orientação. Estamos perdidas num conceito de emancipação que exclui o sexo masculino das nossas discussões, quando isso pra mim, seria imprescindível.
Negra 5- Nota 9 – Demonstrou consciência política perdeu 1 ponto por ser covarde e não querer citar o nome. Que bela análise: Durante algum tempo concordei com esse tipo de pensamento, hoje vejo que a valorização da mulher é algo urgente, não preciso trair para me sentir melhor, apenas ser eu mesma, reproduzir um comportamento negativo não me faz melhor do que quem me feriu. Muito bem.
Narinha Conceição- Nota 10- Inteligente e consciente: Eu vejo uma exacerbação no comportamento sexual de algumas mulheres pretas, decorrentes da sua socialização. Herança do colonialismo. Perdeu 0,5 por não saber responder a questão.
Negra 7- Nota 10- Tem conhecimento de causa e analisou muito bem o questionário, realizou um bom recorte com a resposta: Sim, acredito que uma vida livre sexualmente, porém sempre fica o estigma de ser chamada de "puta", nós mulheres queremos ter a mesma liberdade sexual dos homens.
Negra 8- nota 5- não respondeu nada com nada. Tímida demais.
Negra 9- Nota 7- Usa termos racistas (denigre) precisa se informar mais: A mulher negra é vista como objeto de desejo, por suas curvas, e não pelo seu potencial, pelo sua inteligência...isso denigre nossa imagem, não somente um par de coxas roliças, temo muito mais que isso.
Negra 10- Nota 5- tem preguiça de pensar: Não tenho como responder isto
Monica Francisco- Nota 10- demais as suas respostas, realizou uma análise coerente: Feminismo branco? Risos. A mulher preta consciente sabe que está fora dessa jogada e o feminismo negro vai na contramão disso, queremos ter direito a dignidade de criar nossas crianças pretas, de podermos ter um atendimento médico mais humanizado, ter uma representação social melhor. E outras demandas. Essas são ignoradas pelo feminismo branco e não me contempla como mulher preta.
Kcris Nigeria- Nota 10- Entende bem os homens e sabe que eles são predadores por natureza: NÃO. O homem por ser viril já possui essa característica de dominação sobre a mulher, é da natureza do homem ter mulheres, independente de quantas. A traição acontece decorrente de diversos fatores não necessariamente partindo da mesma.
Todas estão de parabéns e se sintam felizes pela minha análise e dos recortes feitos.
Beijos e Beijos!

Anônimo disse...

Meu caro psicologo das negona, como é q vc se entitula "psicologo" e faz uma análise desse tipo: Abstrata e superficial. Fazendo generalizações sem ter siquer feito um estudo de caso ou aprofundamento das situações?! Me parece que vc sim precisa de uma análise, pois PROVAVELMENTE, deve ser um desajustado mental. Além de PARECER ser um sexista ou até machista. Os seus comentários foram infelizes ao meu ver, se a sua tentativa foi comediar, sinto te informar que vc fracassou! E ao contrário do que vc postou em seu infeliz comentário, eu sou muito bem amada, obrigada! Acredito, q mal amada deve ser a mulher q vc tiver como sua companheira, pois um homem com esses tipos de comentários maldosos, ñ deve ser capaz de fazer uma mulher feliz.

Fabiano disse...

Salve, Salve!!!

Meu nome é Fabiano, sou branco. Concordo com todas (os). Ja tive relações com mulheres negras e brancas (talvez mais com negras)umas são mais fogosas outras menos fogosas, umas eram mais carinhosa outras menos cada uma com o seu jeito de ser. Nunca encanei nesta questão de ser branca ou negra, qual a melhor ou mais sensual? "Mas eu curto esta discussão sobre sexualidade faz parte da nossa vida". Acho que vai muito das preferencias mas tem que haver o respeito. Uma coisa eu digo com toda convicção: seja negra ou branca...a relação foi ótima !!!!Aliás.....mulher é uma coisa de loco.....maravilhosas vcs são di+. Um beijo pra todas as mulheres deste mundo eu amo vcs.

jo rodrigues disse...

Apesar de discordar de algumas respostas que reafirmam as estereotipias que pesam sobre nós, mulheres pretas, nada me pareceu mais absurdo que a fala do autodenominado "psicologo das negonas". É de uma arrogancia que me faz deduzir que não é nem psicologo nem preto. Caso seja,é mais um necropsiando mulheres pretas, diagnosticando para tentar nos submeter à sua perspectiva tosca. Nossos equívocos são herança do colonialismo mental, as a gente se liberta, mais cedo ou mais tarde!

PRETAS POESIAS

PRETAS POESIAS
Poemas de amor ao povo preto: https://www.facebook.com/PretasPoesias